Mais de 90 pessoas desapareceram em Diadema neste ano

Em relação ao mesmo período do ano passado, houve aumento de 25%; caso mais recente envolve desaparecimento de jovem na sexta-feira

desaparecimentos
Setor de Inteligência da Delegacia de Homicídios investiga desaparecimentos. Foto: Reprodução

Mais de 90 pessoas desapareceram em Diadema neste ano. O aumento dos desparecimentos em relação ao ano passado é de 25%, de acordo com informações do setor de Inteligência da Delegacia de Homicídios da cidade. Do total de casos de sumiço de pessoas, 49% não foram localizados ainda.

Apenas 10% dos casos localizados fizeram Boletim de Ocorrência de Encontro. De acordo com a Polícia Civil, existe a necessidade de se fazer esse tipo de registro, porque as pessoas que desaparecem ficam com os documentos suspensos. A informação obtida pela reportagem do ABCD Jornal é de em certos casos, o desaparecido que não avisa que retornou é porque tem envolvimentos com a criminalidade.

O setor e Inteligência da Delegacia de Homicídios ainda analisa quais os motivos do aumento no número de desaparecimento de pessoas no execício de 2018. Ainda não há dados se existe relação com o crescimento no uso de entorpecentes ou participação em pancadões, com bailes funks, nos quais, muitas vezes, são utilizados para o tráfico de drogas.

Jovem desaparecido

O caso mais recente de desaparecimento em Diadema é o jovem David Brandão da Silva, de 23 anos, casado e pai de uma bebê de um ano e mei.o O rapaz foi visto pela última vez , na rua Caviúna, no Jardim Inanar, na sexta-feira, por volta das 17h.

Desde segunda-feira (25/06), a Polícia fez diligências em alguns locais. Houve denúncia anônima de que o corpo do jovem teria sido jogado na Represa Billings. Os policiais foram até o local, mas não foi encontrado nada.

Uma das linhas de investigações utilizadas pela Polícia é de que o sumiço do jovem poderia ter ligação com um crime ocorrido no mesmo dia, em que um amigo de David, chamado Gleison, foi executado com tiros horas depois do desaparecimento do jovem. A informação é de que Gleison era fã da Polícia, sempre era visto ao lado de policiais, e fazia curso para ser bombeiro.