Vanessa Damo continua conselheira da mãe, agora, com respaldo judicial

 Alaíde Damo, prefeita interina de Mauá, consulta filha em suas decisões administrativas

Alaíde Damo indcou nomes para ocupar vagas de aliados de ex-genro. Foto: Divulgação/Facebook

O juiz da 3ª Vara Cível de Mauá, Glauco Costa Leite, proferiu sentença em que a ex-deputada estadual Vanessa Damo (MDB) pode continuar indo à Prefeitura para auxiliar a mãe, Alaíde Damo (MDB), mesmo tendo os direitos políticos cassados até 2020.

Não é possível obstar a qualquer cidadão, inclusive, à própria filha, seu acesso à genitora, seja ela prefeita ou não. Inexiste qualquer óbice legal que impeça a atual prefeita, genitora da ré, de se aconselhar com a filha, independentemente do local, em casa ou na prefeitura”, sentenciou.

A resposta foi ao uma solicitação do advogado Amim Abrahão Nacle na qual pedia que a ex-secretária de Relações Institucionais e de Governo de Mauá fosse impedida de frequentar os corredores do Paço. Esse mesmo advogado foi quem conseguiu a exoneração de Vanessa dos dois cargos públicos no último mês.

Para afastar Vanessa Damo da função, o advogado pegou como base uma decisão da 1ª Vara Cível da Justiça Federal de São Paulo que também a tirou do comando do Ibama, em outubro de 2016. Nos dois casos, o advogado apontou a cassação de Vanessa pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) como deputada estadual, em 2016. Desde então, ela perdeu os direitos políticos até 2020.