Sob forte comoção, grávida de 15 anos é enterrada em Diadema

Jovem estava no 8º mês de gestação e morreu dentro do Hospital de Piraporinha; família diz ter havido negligência e Polícia apura caso

 

Vitória, de 15 anos, éstava grávida de 32 semanas e morreu no hospital Piraporinha. Foto: Reprodução/Facebook

 

Sob forte comoção, a adolescente Vitória Ferreira de Oliveira, de 15 anos, que estava grávida de 32 semanas (oito meses), foi enterrada neste sábado (25/01) . A jovem foi levada ao Hospital Piraporinha e a família acusa a equipe médica de “negligência pela morte de mãe e bebê”.  O velório de Vitória começou nesta sexta-feira (24/01) à noite, no Cemitério Municipal de Diadema, onde houve o sepultamento às 11h.

Parentes afirmam que o hospital  ignorou os apelos da família para a realização cesariana na adolescente, com urgência. Houve registro de BO (Boletim de Ocorrência). Na polícia, marido da jovem, o desempregado Gabriel Lima da Silva, 21 anos, afirmou que houve “acompanhamento pré-natal na unidade de saúde”.

O BO diz que a possível causa do óbito da adolescente teria sido deslocamento de placenta e hemorragia pós-parto, de acordo com apontamentos no atestado médico. O boletim foi registrado como morte suspeita e encaminhado ao IML (Instituto Médico-Legal) para a realização de exames. Apenas daqui três meses o laudo estará concluído.

Segundo familiares, Vitória foi internada às 10h de quarta-feira (22/01), porque sentia fortes dores e contrações. Os parentes afirmam que a equipe de enfermagem teria deixado a gestante em observação, aguardando a dilatação, “induzindo o parto normal”. Um ultrassom foi feito e a informação é de que o coração do bebê não estava batendo.

Diante da constatação, foram realizados exames preparatórios para o parto, só que Vitória passou a ter hemorragia. De acordo com os parentes da adolescente, às 19h da quarta-feira, foram informados de que o bebê havia nascido morto e que Vitória foi levada para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

A família só foi informada sobre a morte de Vitória por volta das 11h de quinta-feira.

 

Adolescente que estava grávida é enterra no Cemitério Municipal de Diadema. Foto: Google Maps

 

Outro lado

A Prefeitura emitiu nota oficial na qual lamenta o fato e diz que disse que prestará assistência à família da adolescente

Leia a íntegra da nota:

“A Prefeitura de Diadema se solidariza com a família e lamenta o óbito da jovem de 15 anos, ocorrida na tarde desta quinta-feira (23/01).

A moradora deu entrada no Hospital Municipal de Diadema (HM), na manhã de quarta-feira (22/01), sendo encaminhada prontamente para o setor especifico do seu atendimento. Com evolução da internação, a paciente apresentou grave intercorrência clínica e, mesmo tendo sido garantidos todos os procedimentos previstos em protocolos, evoluiu para óbito na quinta-feira (23/01).

A equipe do HMD ressalta que os cuidados e procedimentos necessários foram realizados para preservar a integridade da menor. Visando garantir o sigilo médico da paciente assim como a privacidade da jovem, outras informações somente poderiam ser repassadas mediante autorização dos responsáveis.

Neste momento difícil, a Prefeitura está prestando assistência e disponibilizando as informações necessárias e solicitadas à família. A Prefeitura de Diadema, em especial os funcionários que acompanharam a jovem, lamentam e se solidarizam com a família, prestando a assistência necessária.”

7 Comentários

  1. Em 2001 tive minha filha nesse hospital e quase nós duas morremos, simplesmente por não ser moradora de Diadema. Me deixaram no pré parto, mas eu só poderia ser atendida se não houvesse mais nenhuma mãe de Diadema. Por fim, uma .médica que tinha acabado de entrar no hospital, quando me observou de longe, imediatamente, exigiu que me preparassem para cesária… Graças a Deus eu e minha filha sobrevivemos à essa situação.

    • Em 2000 eu e meu filho quase morremos neste hospital. Fiquei 5 dias com dor e sangramento, pra ser feita uma cesariana de urgência, o médico falou q se não fosse feita morreriamos os dois. Do segundo filho fui levada para o serraria.

    • Eles não estão dizendo a verdade ela deu entrada no hospital as 11 horas do dia 22/01 ela já estava com mais de 9 meses tinha passado no ubs da Vila são José na segunda feira e a médica disse que estava tudo bem com ela.Quando ela passou na emergência com o médico eles não escutaram o batimentos do BB então mandaram para a ultrassonografia.Que comprovou que a criança estava morta.O médico disse para a Vitória que o BB estava morto deixando ela desesperada já e disse que ia dar a medicação para induzir o parto.Todos estávamos implorando para o Dr fazer algo ela mesmo pediu para fazer Cesária pois já estava sem força e o médico dizendo para ela que tinha que colocar o menino para fora que ela era mole,a criança nasceu era 18:45. Ela teve muita hemorragia deram medicação mais não resolvia quando foi na madrugada que eles decidiram tirar o útero de tanto a família pedir.Depois desce tempo todo sofrendo ela não aguentou mais.Os órgão foram parando e ela ficou muito inchada e infelizmente foi a óbito.O BB morreu porque deu descolamento da placenta e o BB ficou sem oxigênio,porque eles não retiraram logo o BB de dentro dela em vez de forçar ela a ter normal.Pois a coitada nem passagem tinha pelo BB ser grande demais.Esse foi o erro deles.

  2. Engraçado sou morador de Diadema , tenho passado no hospital do Piraporinha e é um absurdo a decadência que chegou o hospital , agora nem filho podemos ter mais , já não tem atendimento de qualidade lá por falta de funcionários .
    Foi aprovada uma lei onde mãe e família escolhe o parto se é cesaria ou normal e a equipe medica quis questionar .
    O correto a se fazer e processar o município e processar a equipe medica e denunciar cada um em sua classe .

  3. Eu ia ter a minha filha no hospital do Serraria mas como o mesmo teve um princípio de incêndio tive que ir pra esse hospital aí e orei muito a Deus pra que eu e ela saissemos vivas e sem sequelas de lá. Não pretendo ter mais filhos, porém se acontecer em Diadema é que não vai nascer, pq esse Samcil aí tá largado às traças. Lamento profundamente o que aconteceu com a moça e seu bebê. Meus sentimentos aos familiares e amigos.

  4. Esse hospital é um tremendo lixo. Certa vez fui visitar um amigo que sofreu uma queda e foi levado pra lá. Chegando na recepção, Informei o nome do rapaz e me liberaram pra subir ao quinto andar. no quarto indicado tinha uma cama vazia e outra com um paciente. Esse paciente, com muita dificuldade me avisou que meu amigo tinha morrido pela manhã. Fujam daquele lugar.

Comments are closed.