Primeira-dama de Ribeirão Pires presidirá PSDB e Kiko deve retornar à sigla

Deputada Carla Morando encaminha nova executiva ao diretório estadual da legenda

 

Deputada Carla Morando encaminha nova executiva de Ribeirão Pires ao diretório estadual do PSDB. Foto: Divulgação

 

O PSDB será comandado em Ribeirão Pires pela primeira-dama da cidade, Flavia Dotto. Esse é o primeiro passo para que o marido, Adler Kiko Teixeira (PSB) retorne à legenda.

A deputada estadual, membro da executiva paulista e líder do PSDB na Assembleia Legislativa, Carla Morando (PSDB) recepcionou, nesta segunda-feira (12/08), no diretório do PSDB São Bernardo, os novos membros da executiva provisória do PSDB de Ribeirão Pires.

Acompanhada pelo presidente do PSDB São Bernardo, Adelmo Meira, e do coordenador regional do partido, Flávio Rodrigues, Carla Morando recebeu em mãos o documento da primeira-dama de Ribeirão. O pedido será protocolado e entregue no diretório estadual.

“Precisamos de pessoas comprometidas e que queiram fazer a diferença. Tenho certeza que no comando da Flavia, o partido em Ribeirão Pires terá muitas conquistas. O novo PSDB está empenhado em melhorar a vida da população, com trabalho e comprometimento”, comemorou a deputada estadual.

Já a presidente da executiva provisória salientou, em seu discurso de boas vindas, o quanto a mudança será benéfica para todos. “A nova gestão do governador João Doria, está pensando lá na frente, no futuro. Por isso, se unirmos forças, iremos melhorar a nossa cidade. Queremos somar e tudo que a gente pega para fazer, fazemos com garra e bem feito. Estou muito feliz com esse novo desafio”, disse Flávia.

Além de Flávia, no posto de presidente, a executiva provisória será composta José Cezar de Carvalho secretário), Aurélia Cristina Coelho Ataide (tesoureira), e os membros Eric Marques Regadas, Diogo Dantas Maneira, Eduardo Antônio dos Santos Nogueira e o Koiti Takaki.

Mudança

A vinda de Flávia para o PSDB reforça o convite para o prefeito de Ribeirão Pires, Adler Kiko Teixeira, retornar o partido. O governador de São Paulo, João Doria, realizou o pedido publicamente, durante o mês de julho, em uma agenda oficial na cidade.