Novo remédio que salva vidas de pacientes com covid-19 já é usado em S.Caetano

Com taxa de 73,3% de doentes recuperados, cidade é a que mais recupera pessoas em tratamento contra com coronavírus na Região

 

Com taxa de 73,3% de doentes recuperados, cidade é a que mais recupera pessoas em tratamento contra com coronavírus na Região. Foto: Agência Brasil

 

A Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) divulgou na última terça-feira (16/06) os resultados do estudo Recovery da Universidade de Oxford com o medicamento dexametasona que mostraram efeitos positivos no tratamento da covid-19. São Caetano, desde o início da pandemia já utiliza o remédio para ajudar na recuperação de doentes.

A informação é da secretária de Saúde, Regina Maura Zetone. Ela disse que, além do dexametasona, são usados o Annita e o cloroquina, também  recomendados para ajudar no tratamento dos pacientes com covid-19. “Utilizamos todos esses medicamentos para salvar vidas”, afirmou.

São Caetano é a cidade do ABCD que mais recupera pacientes com covid-19. Até o momento, foram 1.273. A taxa de recuperação é de 73,3%. A cidade registra 1,736 mil casos confirmados e 75 óbitos. As demais cidades da Região variam entre 48% e 64,9% de recuperados.

A pesquisa divulgadas nesta semana mostra que o medicamento dexametasona resultou uma redução de mortalidade de 33% nos pacientes com covid-19 em ventilação mecânica. Nos pacientes precisando de oxigênio, mas sem assistência de ventilação mecânica, a queda da mortalidade foi de 20%.

Já entre os pacientes que não necessitam de oxigênio, não houve diferença com a prescrição do medicamento.

A entidade analisou que os resultados permitem uma conclusão prática: “todo paciente com covid-19 em ventilação mecânica e os que necessitam de oxigênio fora de Unidade de Terapia Intensiva devem receber dexametasona via oral ou endovenosa 6mg uma vez por dia por 10 dias”.

Os responsáveis pelo ensaio clínico Recovery, realizado no Reino Unido com mais de 11 mil pacientes, informaram na última terça-feira (16/06) que essa droga reduz a mortalidade entre os doentes muito graves, que precisam de respiração assistida, e também entre aqueles que necessitam de oxigênio. O medicamento não demonstrou benefícios entre pacientes com casos mais leves de covid-19.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*