Nenhum banco aparece para comprar folha de pagamento de servidores de Mauá

Licitação marcada para esta terça-feira foi esvaziada; estimativa da Prefeitura era inicialmente arrecadar R$ 12 milhões

banco
Jesomar Lobo, presidente do Sindserv, diz que categoria está de olho em processo licitatório que venderá folha de pagamento de servidores. Foto: Divulgação

A crise política e financeira vivida pelo município de Mauá começou a interferir nas licitações da cidade. Nesta terça-feira (05/02), estava marcada uma concorrência pública para vender a folha de pagamento dos 6 mil servidores para alguma instituição, no entanto, nenhum banco compareceu para apresentar proposta.

De acordo com o Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos de Mauá), a Prefeitura esperava arrecadar, inicialmente, R$ 12 milhões com a venda da folha e depois esse valor caiu para R$ 8 milhões. “(O valor) deve cair ainda mais, já que os bancos não se interessaram, como foi declarado na ata da sessão pública de licitação realizada na última terça-feira, na Secretaria de Finanças. O Sindserv de Mauá, como legítimo representante dos trabalhadores, acompanha na qualidade de observador o processo de licitação para contratação da instituição bancária que vai administrar e gerenciar a folha de pagamento”, informou o sindicato por meio de nota.

A entidade sindical ainda criticou que “em momento algum” a administração municipal abriu diálogo com os servidores para explicar como seriam aplicados os recursos. “Portanto, o Sindserv espera que a Prefeitura estabeleça critérios sólidos para garantir qualidade no atendimento aos trabalhadores e a redução de taxas para os serviços bancários”, concluiu a nota do sindicato presidido por Josemar Lobo .

A Prefeitura foi procurada para se posicionar sobre o assunto, mas até o fechamento da reportagem não havia dado retorno.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*