Na luta contra o câncer de mama, S.Caetano realiza 1ª reunião com 35 mulheres

Fundo Social de Solidariedade inicia encontro do programa ‘Elas por Elas’, retomado na última semana

 

câncer de mama
Fundo Social de Solidariedade inicia encontro do programa ‘Elas por Elas’, retomado na última semana. Foto: Divulgação/PSCS

 

A primeira reunião do Programa “Elas Por Elas”, de prevenção ao câncer de mama, foi realizada nesta segunda-feira (24/06), pelo Fundo Social de Solidariedade de São Caetano, em sua própria sede. A partir de agora, os encontros ocorrerão em entidades, salões de igreja, empresas e nas residências de moradores. Os interessados em montar um grupo e receber uma reunião do programa em sua casa podem entrar em contato pelo telefone 4228-8907.

A primeira-dama e presidente do Fundo Social, Denise Auricchio, afirma que o ‘Elas por Elas’ será levado para toda a cidade. “É um programa muito importante para a mulher, que recebe informações sobre o câncer de mama e as formas de prevenção. Além disso, quem tiver interesse já sai da reunião com sua consulta e exame marcados”, explica Denise.

O encontro se inicia com uma palestra da primeira-dama. Depois, as participantes podem tirar dúvidas com uma mastologista. Nesta segunda-feira, esteve presente a médica Ana Cláudia Caffaro Rodrigues, que conversou com as mais de 35 mulheres do grupo de promotoras legais populares de São Caetano.

A reunião também contou com o depoimento de Ana Carolina Forster, moradora do Bairro Santo Antônio e paciente do Caism (Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher), onde recebeu todo o atendimento para vencer um câncer de mama. Após a reunião, as interessadas agendaram suas consultas e exames.

O ‘Elas por Elas’ é realizado numa parceria do Fundo Social com a Prefeitura de São Caetano, por meio da Secretaria de Saúde. Homens também podem participar, já que esse tipo de câncer também atinge o sexo masculino. Estudos apontam que quase 60 mil casos novos de câncer de mama surgem no Brasil anualmente. A prevenção é fundamental porque, com o diagnóstico no início, a chance de cura chega a cerca de 95%.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*