10 de agosto de 2022

GCMs de Mauá são investigados por irregularidade no vale-transporte

Mais visitadas

Após auditoria, casos serão remetidos ao Ministério Público para que sejam tomadas medidas cabíveis para punições e devolução dos recursos  

viatura da GCM de mauá
GCMs de Mauá são investigados por irregularidade no vale-transporte. Foto: Divulgação

Após auditoria interna, a gestão do prefeito de Mauá, Marcelo Oliveira (PT), por meio da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Civil, identificou que 19 GCMs (Guardas Civis Municipais) receberam indevidamente vale transporte. Além de sindicância, foi sugerida pela Comissão Processante a devolução do dinheiro aos cofres públicos.

A Prefeitura informou que quando detectou o ilícito, “prontamente tomou as medidas necessárias envolvendo 19 guardas civis municipais”.

A Prefeitura não informou os valores das devoluções, mas a reportagem apurou  que houve há caso de recebimento de R$ 100 mil.

De acordo com a Prefeitura, os servidores seguem na ativa, mas sem receber o benefício do vale-transporte até que o processo seja finalizado. Os casos estão sendo avaliados individualmente e correm em sigilo.

“Após as apurações, os processos serão remetidos à procuradoria e ao Ministério Público para as medidas judiciais de devolução. Uma vez comprovada a ilicitude, os envolvidos sofrerão as medidas cabíveis previstas em estatuto”, afirmou o governo de Marcelo Oliveira.

A  Prefeitura publicou no Diário Oficial do Municípios dos dias 14, 18, 20 e 24 de abril o resultado da investigação feita pela Comissão Processante. Entre os investigados estão GCMs em diferentes classificações (Classe Distinta, Subinspetor s e Classe Distinta).

Segundo as publicações no Diário Oficial do Município, a Comissão Especial Processante, concluiu que houve a utilização indevida do do auxílio transporte, caracterizando falta grave sujeito a demissão e suspensão.

Por uma das publicações, um subinspetor terá de devolver o valor recebido a título de auxílio transporte, no período de abril de 2021 a março de 2022.

“Levando em consideração o tempo de serviço e o excelente comportamento, com base no princípio da proporcionalidade e razoabilidade, a Comissão Processante Especial, sugestiona que seja aplicada a pena de suspensão de 90 dias ao subinspetor”.

Em outro caso um GCM terá de  devolver o valor recebido a título de auxílio transporte no período 2019 a 2021.

Em outra situação GCM recebeu indevidamente de outubro de 2018 a março de 2022 e também foi sugerido a devolução do dinheiro, além de uma suspensão por 90 dias.

Houve caso também de a Comissão apurar que um guarda municipal, recebeu vale-transporte de forma irregular nos últimos 5 anos, e que o fato caracteriza “falta grave sujeito a demissão”, mas como o servidor tem bom comportamento a comissão aconselha a suspensão da função por três meses, além do ressarcimento dos valores recebidos.

Um GCM Classe Distinta também está na relação por ter recebido auxílio transporte no período outubro 2018 a março de 2022 e foi pedido que seja cessado definitivamente o auxílio e que ele devolva o que recebeu de forma ilegal.

Mais publicações

1 COMENTÁRIO

  1. A Prefeitura detectou o ilícito somente destes de 19 funcionários, somente essa quantidade de funcionários usam vale transporte? E somente os guardas usam vale? Ou todos os funcionários foram investigados? Isso me parece mais uns laranjas pagando para salvar gente maior…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações