23 de outubro de 2021

Defensoria Pública Federal dá 5 dias para Mauá esclarecer dados de vacinação

Mais visitadas

Defensor recebeu denúncias sobre supostas falhas na imunização de moradores e armazenamento de doses

Governo do prefeito Marcelo Oliveira terá de esclarecer dados de vacinação à Defensoria Pública Federal. Foto: Divulgação

O Defensor Público Federal da Regional de Direitos Humanos em São Paulo, João Paulo Dorini, deu um prazo de cinco dias para o governo do prefeito de Mauá, Marcelo Oliveira (PT), esclarecer dados sobre a imunização dos moradores contra a Covid-19, bem como supostas contradições com relação à falta de vacina. Outro questionamento é o fato de a vacinação ter começado primeiramente pelas escolas particulares e não nas públicas da cidade.

O defensor quer o esclarecimento sobre o exato número do público acima de 18 anos que já foi vacinado e o número que está sendo utilizado para realizar os cálculos da porcentagem de pessoas vacinadas, bem como a fonte desses dados.

O defensor ainda quer saber porque a Prefeitura informou em 31 de julho que estava com insuficiência de doses recebidas do governo do Estado de São Paulo pelo município de Mauá, “em contradição com notícias da mesma época que divulgavam um ‘saldo’ de estoque de vacinas na cidade”

“Chegou ao conhecimento desta Defensoria, através de relatos de munícipes, inquietações descrevendo a falta de transparência da Prefeitura de Mauá em relação aos dados da vacinação e também questionando o plano de vacinação da cidade. Relatou-se a divulgação de dados inverídicos através das redes sociais da Prefeitura em relação à porcentagem de vacinados e à quantidade de doses de vacinas contra a COVID-19 recebidas pelo município”, afirmou o defensor no documento.

De acordo com a denúncia feita por moradores, duas semanas antes da publicação da Prefeitura sobre a falta de vacina já havia sido divulgado que a cidade tinha um “saldo” de 59,1 mil doses, já que havia recebido mais de 292,5 mil doses desde o início da campanha e havia aplicado somente 233,3 mil.

“Além disso, divulgou-se também que até 15 de julho de 2021, das 12,7 mil doses da vacina Janssen recebidas do governo do Estado, a prefeitura havia ministrado apenas 354 unidades.  Ainda neste período, dados coletados em 12 de julho de 2021 mostraram que a vacinação vinha avançando de forma evidentemente desigual no município, com a concentração de população com a 1ª dose aplicada nas regiões centrais, e com a porcentagem de apenas 0 a 15% da população acima de 40 anos vacinada nas regiões marginais, como demonstram os gráficos”, disse o defensor ao apresentar um mapa da vacinação.

Outro ponto levantado pelo defensor é que teria havia falha de estratégias de vacinação. “Chamou a atenção também o início da vacinação em escolas particulares e não em escolas públicas”, disse o defensor no pedido de esclarecimentos à Prefeitura. Foram vacinados nesta quarta-feira (08/09) 91 adolescentes dos colégios Barão de Mauá e Renil.

Outro lado

A Prefeitura emitiu uma nota oficial em que se diz surpresa com os questionamentos feitos pela Defensoria e que tem avançado nas questões da vacinação.

Leia a íntegra da nota:

“Recebemos com surpresa o ofício da Defensoria Pública da União nesta quinta-feira, no fim do expediente da Prefeitura, tendo em vista o avanço da vacinação na cidade e as quedas nos índices relacionados à Covid – há seis dias Mauá não registra óbitos pela doença no município (11 casos estão em averiguação) e temos apenas 4 pessoas ocupando leitos de UTI pela infecção.

Todos os esclarecimentos serão prestados no prazo solicitado, até porque a atual administração,diferentemente do que ocorria no governo passado, trabalha com seriedade e transparência.

A Prefeitura tem adotado série de ações no enfrentamento da Covid. A cidade tem uma das vacinações mais avançadas e planejadas do Estado de São Paulo.

Mauá já aplicou 459.491 vacinas contra a Covid, 313.819 pessoas receberam a primeira dose, 132.782 a segunda dose e 12.865 tiveram acesso a doses únicas, além de 25 terceiras doses. A cobertura vacinal dos maiores de 18 anos passou dos 90%. A cidade foi uma das poucas a não paralisar a campanha de vacinação, iniciada em janeiro de 2021.

O município já realizou pelo menos três mutirões de vacinação e tem outro programado para o próximo sábado (11/09). Na última segunda-feira (06/09), mesmo em meio ao feriado prolongado, entrou em operação o ‘carro da vacina’, que percorreu as principais vias da cidade para levar a vacinação itinerante à população.

Isso sem contar com o trabalho de busca ativa realizado pelas equipes de Saúde da Família. Já foram aplicados imunizantes também em mais de 200 pessoas que estão em situação de rua, em um trabalho integrado das secretarias municipais de Saúde e de Assistência Social.

Em Mauá, cada pessoa imunizada importa. Não há privilégio a qualquer classe social ou público específico.”

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações