Câmara de São Caetano confirma saída do município do Consórcio

Dos 19 vereadores, apenas quatro da oposição votaram contra o projeto de autoria do prefeito José Auricchio Júnior

 

saída
Consorcio já perdeu duas prefeituras desde o ano passado . Foto: Divulgação

 

A Câmara de São Caetano aprovou nesta terça-feira (27/11) a saída do município do Consórcio Intermunicipal do ABC, entidade criada para que as sete cidades da região buscassem soluções conjuntas para a região. Diadema foi a primeira a pedir o desligamento no ano passado e Rio Grande da Serra pode ser a próxima.

Apenas quatro vereadores da oposição (Jander Lira, Chico Bento, Ubiratan Figueiredo e César Oliva) votaram contra o projeto do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB).

O vereador César Oliva (PR) afirmou que se a cidade ficar com dívidas com a entidade corre-se o risco de inviabilizar empréstimos para a cidade, hoje estimado em R$ 100 milhões. “Temos informações que os débitos podem chegar a R$ 2,5 milhões. Esse valor precisa ser confirmado, mas pode gerar problemas para o município”, disse.

Jander Lira (PP) defendeu a questão da regionalidade e acha que o Consórcio é uma forma de encontrar soluções conjuntas para os sete municípios do ABCD. “São Caetano está indo na contramão”.

O vice-líder do prefeito Edsison Parra (PSB) acredita que a fórmula adotada pelo Consorcio não deu certo. “Se a teoria não funciona na prática, não adianta nada. São Caetano desperdiçou muito dinheiro sem ter tido um retorno em investimentos”, disse.

O líder do prefeito, Tite Campanella (PPS, afirmou que no mandato passado foram repassados ao Consórcio R$ 6 milhões. “Esse valor daria para construir três escolas infantis em São Caetano”, concluiu.