Vereadora Suely Nogueira entra com processo contra pré-candidato a prefeito

Parlamentar de São Caetano moveu ação por conta de revelação de salário de marido

 

Parlamentar de São Caetano Suely Nogueira moveu ação por conta de revelação de salário de marido. Foto: Divulgação

 

A vereadora Suely Nogueira (PODEMOS) e seu marido, Nilton Ferreira, entraram com ação de calunia e difamação contra o pré-candidato a prefeito de São Caetano do Sul, Mario Bohm (NOVO), que publicou em mídias sociais informações referentes ao salário de Mário. A ação solicita ao réu reparação por injúria e calúnia por informar que o marido era nomeado pelo SAESA – Sistema de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental, com um salário acima de R$ 30 mil por mês.

“Ele publicou uma inverdade e sofremos ataques caluniosos e ofensivos de várias pessoas. Meu marido Nilton Ferreira é concursado desde 1.989, porém há mais de 30 anos. A divulgação realizada por este senhor mostrou apenas a sua função e os valores bruto e líquido do mês de fevereiro que foram modificados devido a duas licenças-prêmios que recebeu e estavam acumuladas ao longo dos anos”, destaca Suely Nogueira, que também ressalta que todos os proventos do seu marido é direito adquirido por lei e nada tem a ver com o seu mandato.

A ação foi protocolada na 6ª Vara Cível – Foro de São Caetano do Sul, Processo de número: 1002239-16.2020.8.26.0565, pelo escritório Dias Advocacia, composto pelos advogados Adilson Paulo Dias, Rafael Felipe Dias e Francisco Isaias da Costa. O advogado Dr. Rafael ressalta que “se tratou de uma manobra política do Mario Bohn”.

“Se o interesse dele fosse esclarecer a população, teria que ligar para a vereadora e para seu marido. Mas preferiu se omitir que os valores seriam referentes a licença prêmio acumulada em pecúnia. Diante deste cenário, buscamos a reparação devido aos danos que ele causou a imagem da vereadora Suely Nogueira e ao seu marido. Agora terá que se explicar na Justiça”, finalizou o advogado.

O pré-candidato foi procurado, mas até o fechamento da reportagem não havia dado retorno para se posicionar.