Um dia depois de roubo, Museu Barão de Mauá sofre segunda invasão

 Dessa vez, bandidos levaram micro-ondas, mangueira e produtos de limpeza

Micro-ondas, magueira e produtos de limpeza foram roubados do Museu. Imagem é do dia anterior ao roubo. Foto: Divulgação

 

O que parecia improvável aconteceu na madrugada deste domingo (24/06). Um dia depois de o Museu Barão de Mauá ser invadido, bandidos voltaram ao local do crime para roubar pela segunda vez. Dessa vez, os criminosos arrombaram a porta om uma picareta e levaram um micro-ondas, uma mangueira e produtos de limpeza.

Apesar de a Prefeitura saber do roubo ocorrido no sábado (23/06) nenhuma providência foi tomada quanto à segurança no local. O fato preocupa historiadores, pois a casa é do século 18 e armazena a história da cidade, com fotografias, objetos e documentos. Trata-se de principal centro de pesquisa da cidade, responsável pela conservação e divulgação da memória do município. O espaço é tombado como patrimônio histórico.

É uma casa bandeirista do século 18. Tem todo um trato especial e, na medida que arrombam como uma picareta, traz danos muito fortes para o local. Daqui a pouco levam as exposições que estão lá. A invasão é uma coisa muito séria. Eu como professora de história fico muito triste. Só neste ano foram quatro invasões”, afirmou Tathy Nunes, membro do Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) foi uma delas.

O museu fica na avenida Getúlio Vargas, 276, Jardim Guarani. O Condephaat já solicitou segurança para o local desde gestões passadas, mas somente neste domingo, depois do ocorrido, havia GCMs (Guardas Civis Municipais) no espaço.

Segurança

O secretário de Segurança de Mauá, coronel Paulo Barthasar, disse que por conta do efetivo da GCM ser pequeno não há como fazer a cobertura de todos os prédios públicos. Ele informou que a partir de agora já estão com o cadeado do museu e farão rondas noturnas não só na parte externa como também na parte interna do prédio.

De acordo com o coronel, geralmente quem faz esse tipo de invasão são usuários de drogas que roubam para trocar por entorpecentes.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*