4 de agosto de 2021

TRE nega recurso a Orosco e sonho de se tornar deputado fica mais longe

Mais visitadas

Político de Mauá teve 30 mil votos nestas eleições, mas não foram computados por ter sido enquadrado na Lei da Ficha Limpa

 

orosco
Orosco tenta reverter impugnação de candidatura, mas TRE nega. Foto: Reprodução/Tiago Silva

O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) negou nesta segunda-feira (12//11, um recurso que havia sido impetrado por José Carlos Orosco (PDT), de Mauá, que disputou nas eleições de outubro uma vaga na Câmara Federal.

A maioria dos desembargadores da Corte não aceitou os embargos de Orosco, que obteve 30 mil votos nas eleições e tinha a esperança de ocupar uma cadeira no Congresso nacional.

O pedetista foi enquadrado na lei da Ficha Limpa por ter feito uma doação considerada ilegal à campanha da ex-deputada estadual Vanessa Damo (MDB).

Durante a campanha eleitoral, o TRE, além de indeferir a candidatura a deputado federal, ainda solicitou à Receita Federal e ao MPF (Ministério Público Federal) que a apure a questão de o empresário ter declarado ter R$ 1,9 milhão em dinheiro vivo.

De acordo com o Tribunal, na atual campanha, o candidato Orosco declarou que, do total de seus bens, quase um terço está mobilizado em dinheiro vivo. “A prática é incompatível com quem, como o candidato, tem a condição de empresário, indivíduo constitucionalmente qualificado para a busca do lucro. É de elementar intelecção que o dinheiro guardado em tal condição está sujeito aos prejuízos sempre presentes da inflação. Tanto mais quando se trata de expor a dano a descuidada desproporção de um terço do patrimônio”, avaliou o Tribunal na Época.

Orosco foi procurado para comentar o fato, até o fechamento da reportagem não havia da retorno para se posicionar.

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações