TIM inicia piloto de IoT e inteligência artificial para monitoramento de granjas da JBS

Sistema desenvolvido pela F&S Consulting utiliza a Solução 4G TIM no Campo da operadora para levar soluções e aumentar a biossegurança nas granjas

 

Alexandre Dal Forno, Head de Marketing Corporativo & IoT da TIM Brasil e líder do projeto “4G TIM no Campo” comenta projeto. Foto: Divulgação

A TIM fechou uma parceria inédita com a F&S Consulting, empresa brasileira dedicada à inovação para a indústria de alimentos, para oferecer uma solução integrada de conectividade e inteligência artificial a seus clientes de agronegócio. O sistema, batizado de “Granja 4.0”, já está sendo realizado em fase piloto em parceria com a JBS, em Santa Catarina. O monitoramento remoto viabilizado pela tecnologia impacta também na redução da movimentação de pessoas nas granjas, essencial em tempos de Covid-19, fortalecendo ações de biossegurança.

Com o objetivo de otimizar a produtividade das propriedades, a solução monitora o bem-estar dos animais dentro das granjas, fornecendo através de sensores IoT informações em tempo real de indicadores como temperatura e umidade do ambiente, qualidade do ar, peso e até o comportamento dos animais. O sistema fará parte do portfólio de soluções IoT da TIM e utilizando o 4G TIM no Campo como solução de conectividade.

“Pioneira em conectividade no Agro, a TIM está trazendo para seu portfólio IoT a primeira solução de Granja 4.0 do mercado através de parcerias com empresas especialistas no setor de proteína animal. Esta solução vai permitir tomada de decisão em tempo real, levando a digitalização para as áreas de produção em todo o país”, explica Alexandre Dal Forno, Head de Marketing Corporativo & IoT da TIM Brasil e líder do projeto “4G TIM no Campo”.

O “Granja 4.0” leva conectividade para dentro das granjas, o que possibilita o uso de tecnologias que já existem ou que estão em desenvolvimento, mas que não funcionavam no meio rural por falta de internet dedicada. “Tem muita pesquisa produzindo ferramentas que utilizam internet das coisas e inteligência artificial e que precisam de conectividade para mostrar todo o seu potencial”, afirma Leonardo de La Vega, diretor executivo da F&S Consulting.

Os sensores instalados dentro das granjas, que estão conectados à plataforma Narrow Band IoT da TIM, coletam dados em tempo real que são processados e analisados, projetando cenários possíveis e permitindo a tomada de decisão antecipada. “Em vez de olhar pelo retrovisor, como fazemos normalmente hoje – com técnicos que realizam coletas e registram essas medições manualmente para produzir relatórios posteriores – temos diagnósticos precisos a cada minuto”, complementa Vega.

Nessa primeira fase do projeto, uma unidade da JBS em Santa Catarina, dedicada à produção de aves, vai receber a solução. Para José Antônio Ribas Júnior, Diretor de Agropecuária da empresa, “estamos na porta de um novo mundo, com a inteligência artificial permitindo não só monitorar uma realidade dentro da granja, mas já tomando a decisão de ajuste na hora, com precisão e celeridade”, explica. A JBS apostou no projeto por três pilares principais, explica Ribas: “bem-estar animal, ganhos qualitativos, e resultados através de redução de custos e agregação de valor”, destaca o executivo.

Biossegurança

No cenário atual, alerta Vega, com a necessidade de isolamento social e redução de trânsito de pessoas, a existência de sistemas como esse permite que as normas de biossegurança sejam mantidas com mais rigor, evitando que um técnico que visita diferentes propriedades ingresse no local. “Os técnicos passam a trabalhar de forma remota, avaliando informações coletadas pelos sensores que auxiliam com análises estatísticas para projeções futuras. É possível corrigirmos erros que sequer aconteceram ainda”, pondera o fundador da F&S.

Ribas vai além e acredita em uma nova realidade de trabalho para o pessoal técnico. “Imagino que, em pouco tempo, nossos extensionistas, que são os responsáveis pela relação da empresa com os produtores, irão poder fazer isso diretamente de um centro de comando, com muito mais informações e o apoio dos cálculos gerados em tempo real”, projeta.

Já Dal Forno afirma que é possível desenvolver um projeto de conectividade para qualquer tamanho de propriedade. “Outra vantagem é que o cliente não precisa ter a preocupação de fazer a manutenção desta rede, é a TIM que fica responsável por fazer tudo funcionar corretamente”, explica. Atualmente a empresa já conecta mais de cinco milhões de hectares no país.