Samu recebeu mais de 9,3 mil trotes em Diadema

Secretaria de Saúde trotes prejudicam população, pois ambulâncias poderiam estar no socorro de outros pacientes

 

trotes
Samu de Diadema recebeu mais de 3,3 mil trotes. Foto: Divulgação/PDA-Thiago Benedetti

 

O Samu (Atendimento Móvel de Urgência) recebeu 26.511 ligações pelo telefone 192 no exercício de 2018, mas, desse total, 9.319 (25,5%) foram classificadas como trote. Os dados foram informados pela Secretaria de Saúde durante audiência pública realizada nesta quarta-feira (27/02), na Câmara.

De acordo com o secretário de Saúde de Diadema, Luís Cláudio Sartori, o primeiro impacto negativo dos trotes é o tempo gasto desnecessariamente nas ligações telefônicas para abertura de chamados falsos. O tempo médio desde que a ligação é atendida pelo telefonista até o acionamento de uma ambulância é de seis minutos.

“Muitos trotes são identificados pelo telefonista auxiliar de regulação médica ou pelo médico regulador. Quando isso não acontece, uma ambulância é enviada. É uma situação muito grave, considerando que esta ambulância poderia estar atendendo pacientes reais ou o veículo disponível para atender chamados subsequentes com o menor tempo de espera possível”, afirmou Sartori.

Para a coordenadora geral do Samu, Simone Ogoshi, “trotes realizados por crianças são comuns, porém mais facilmente identificáveis antes do envio de ambulância. “Nesses casos, ações de educação e informação nas escolas são positivas. Porém, trotes realizados por adultos também são frequentes, havendo maior risco de não identificação imediata e, portanto, envio indevido de ambulância, com maiores prejuízos à população que de fato necessita de atendimento de resgate”, afirmou.

De acordo com Simonea, a informação para adultos é importante, porém há necessidade de conscientização de cada indivíduo sobre a utilização correta de qualquer número de telefone de urgência, como polícia, bombeiros, e defesa civil.