Programa de S.Bernardo beneficia mais de 1.200 alunos com óculos de grau

Mais visitadas

Lentes corretivas, que fazem parte do tratamento oftalmológico, devolvem o interesse pelo estudo e melhoram a aprendizagem das crianças na rede municipal

aluna com óculos
Programa de São Bernardo beneficia mais de 1.200 alunos com óculos de grau. Foto: Divulgação

A Prefeitura de São Bernardo já contemplou um total de 1.237 crianças com lentes corretivas, que ajudaram na aprendizagem e na retomada do interesse pelo estudo, assim como na melhoria das notas e avaliações de alunos da rede municipal de ensino. A ação faz parte do programa “Vendo e Aprendendo”, que identifica, por meio do Programa Saúde na Escola (PSE), tanto crianças que necessitam de encaminhamento oftalmológico, como de uso de óculos de grau, e oferta o item gratuitamente a estes pacientes.

É o caso do Rodrigo, de 7 anos, estudante da EMEB Viriato Correia, no bairro Rudge Ramos. De acordo com sua mãe, Rosemary Tavares Macedo, foi a professora quem percebeu que o aluno precisava de lentes corretivas e solicitou o encaminhamento para uma consulta. “Ele tinha muita dificuldade em prestar atenção nas aulas e depois que começou a usar óculos ficou muito mais atento e interessado por todos os conteúdos em sala de aula”, detalhou.

A oferta de consultas com oftalmologistas – cujo dia internacional foi comemorado neste domingo (7/5) – é ofertada no município na Policlínica Alvarenga (localizada na Estrada dos Alvarengas, 5.795). Assim como os demais serviços referenciados, o paciente precisa procurar pela Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência para receber o primeiro atendimento. No caso das crianças, a triagem é feita na própria escola, durante o período de aula.

De acordo com o prefeito Orlando Morando, este é um programa custeado pelo município, dada a importância da aprendizagem na fase inicial. “Esta é uma importante ferramenta para contribuir para o ensino de nossas crianças, identificando e corrigindo problemas visuais que por ventura podem atrapalhar a vida escolar dos alunos”, explicou Morando.

Para o secretário de Saúde, Dr. Geraldo Reple Sobrinho, o principal objetivo é facilitar o acesso da população escolar à consulta oftalmológica e à utilização de óculos corretivos. “Desde a implantação do programa, em 2020, reduzimos também as taxas de repetência e evasão escolar”, complementou o secretário.

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA (PSE)

A ação acontece em parceria entre as secretarias de Saúde e de Educação. Profissionais da Atenção Básica aplicam o teste de Snellen nas escolas para realizar triagem dos alunos que necessitam ser encaminhados ao oftalmologista. Somente no ano passado, o Programa Saúde na Escola identificou alterações suspeitas na visão de 1.765 crianças da rede municipal, após o exame inicial.

 

Mais publicações

Últimas publicações