Prefeitos do ABCD descartam rodízio de veículos na região

 Redução de frota do transporte coletivo segue em vigor, como medida para desestimular os deslocamentos

 

Prefeitos do ABCD descartam rodízio de veículos para conter avanço da pandemia. Doto: Divulgação/PSA-Helber Aggio

 

Os prefeitos do ABCD descartaram, neste momento, um rodízio de veículos na região como medida para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O tema foi debatido durante assembleia do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, realizada nesta segunda-feira (11/05), por meio de videoconferência.

A redução de frota do transporte coletivo segue em vigor, como medida para desestimular os deslocamentos, afirmou o presidente do Consórcio ABC e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão.

“Os prefeitos decidiram não realizar o rodízio nos mesmos moldes adotados por São Paulo, pois o entendimento é que podemos prejudicar os serviços essenciais nas sete cidades. Em março, o Consórcio ABC foi o primeiro órgão do país a decidir a restrição ao transporte público, que segue mantida”, explicou.

Maranhão ressaltou ainda que, devido à pandemia, as decisões das prefeituras são dinâmicas e podem ser avaliadas se necessário.

O novo rodízio de veículos da cidade de São Paulo  começou a valer nesta segunda-feira. Após quase dois meses suspensa por causa da pandemia de Covid-19, a iniciativa passa a funcionar em toda a capital paulista e pelo período de 24 horas, além de restringir ainda mais a quantidade de veículos por dia.

Casos de Covid-19

O colegiado de prefeitos analisou o avanço do número de casos do novo coronavírus (Covid-19) nas sete cidades. Segundo números divulgados pelas sete prefeituras, o Grande ABC contabiliza, até esta segunda-feira, 2.821 casos confirmados de Covid-19, com um aumento de 772 em relação à semana anterior. O número de mortos pela doença na região é de 262 pessoas, ante 188 há uma semana.

Também foi acompanhado um balanço da plataforma digital COVIData, desenvolvida pela Universidade Federal do ABC (UFABC). Entre 29 de abril e 10 de maio, a ferramenta realizou 7.012 triagens, sendo 1.106 casos suspeitos.

A parceria com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que está divulgando a ferramenta em banners explicativos nas nove estações da Linha 10 – Turquesa instaladas na região, contribuiu para popularizar o COVIData, afirmou o presidente do Consórcio ABC.

“Em menos de uma semana dobramos o número de acessos. Isso mostra que divulgar a ferramenta em um meio de transporte com grande circulação de pessoas foi uma iniciativa acertada”, disse Maranhão.

A pauta da reunião incluiu a compra pelo Consórcio ABC de equipamentos de proteção individual (EPIs) para as equipes de saúde dos sete municípios. A entidade regional realizará a compra de aproximadamente 14 milhões de itens, conforme definido pelo Grupo de Trabalho (GT) Saúde.

Os prefeitos analisaram ainda a taxa de ocupação dos leitos disponíveis para caso de Covid-19 na região, que atingiu 56,1% conforme levantamento realizado na última sexta-feira (8/5).

 

“O percentual mostra a postura de coleguismo e a sinergia entre as sete prefeituras. O Consórcio ABC tem um papel de muita importância nesse processo, pois tem centralizado as informações e contribuído para o planejamento das redes públicas de Saúde”, ressaltou Maranhão.