22 de outubro de 2021

PM Ambiental resgata seis aves silvestres em Diadema e Santo André

Mais visitadas

Em Diadema ainda foi constatado desmatamento em uma área de proteção e preservação permanente

Restaurante e buffet em Santo André tinha um periquito rico e uma coruja do campo. Foto: Divulgação

A Polícia Militar resgatou, entre quarta (28/07) e quinta-feira (29/07), seis aves silvestres que eram mantidas em cativeiro nas cidades de Diadema e Santo André. Na primeira ação ainda foi constatado desmatamento em área de proteção.

Os trabalhos foram realizados por equipes da 2ª Companhia do 1º Batalhão de Polícia Ambiental (BPAmb). Na quarta-feira, os militares se deslocaram até a rua Cambeva, no bairro Eldorado, em Diadema, para atender a uma denúncia contra a flora.

Em diligências no endereço indicado, foi constatada o corte de árvores e a construção de um barraco de madeira sob um cimentado – cerca de 0,0064 hectares -, localizado em áreas de Proteção aos Mananciais (APM) e de Preservação Permanente (APP).

Em continuidade à fiscalização, os policiais ainda encontraram quatro passeriformes, acondicionados em gaiolas individuais, com água e alimentação suficientes e cobertura a intempéries, contudo, sem licença do órgão ambiental competente.

Foram então elaborados Autos de Infrações Ambientais (AIAs) e os responsáveis autuados por dificultar a regeneração natural e destruir qualquer tipo de vegetação nativa sem autorização e por manter em cativeiro espécie da fauna nativa sem autorização.

As multas aplicadas, conforme resoluções da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (Sima), somaram mais de R$ 2,1 mil.

Em Diadema ainda foi constatado desmatamento em uma área de proteção e preservação permanente. Foto: Divulgação

Resgate em Santo André

Nesta quinta-feira, equipes da mesma unidade especializada foram até uma propriedade, na Estrada das Lágrimas, em Santo André, para checar uma denúncia de degradação contra a fauna e no local constataram tratar-se de um restaurante e buffet.

Foi realizado contato com o responsável, que autorizou a vistoria no imóvel, sendo localizados um periquito rico e uma coruja do campo, ambas acondicionadas em gaiolas individuais, sem licença do órgão ambiental competente. Foi elaborado AIA, com multa valorada em R$ 1 mil.

Coruja do campo estava acondicionada em gaiola e dono não tinha licença de órgão ambiental competente. Foto: Divulgação

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações