16 de janeiro de 2022

Municípios do ABCD negam que aplicaram doses vencidas da Astrazeneca

Mais visitadas

Apesar de o Jornal Folha de São Paulo afirmar que 46 doses estavam fora da validade na Região, Prefeituras afirma que fizeram a imunização dentro do prazo

Municípios do ABCD negam que aplicaram doses vencidas da Astrazeneca. Foto: REUTERS/Sergio Perez- via Agência Brasil

Aproximadamente 26 mil doses da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca fora da validade teriam sido aplicadas em 1.532 municípios, sendo que 46 delas foram em municípios do ABCD, conforme levantamento divulgado nesta sexta-feira (02/06) pela Folha de São Paulo. Apesar dos dados, as Prefeituras negaram o fato e afirmam que imunizaram os moradores dentro do prazo.

Segundo os dados levantados, Mauá teria 14 casos, sendo que cinco doses teriam sido aplicadas na UBS Primavera , cinco na UBS Zaíra I, duas na UBS Capuava, uma na UBS Jardim Itapark e outra na UBS Jardim Santista.

Em Santo André, a UBS Espírito Santo teria aplicado 11 doses vencidas, enquanto em São Bernardo uma dose no Hospital Infor, uma no hospital São Bernardo, uma na UBS Montanhão, além de cinco na UBS Vila Marchi, quatro na UBS Alves Dias e três na UBS Vila Euclides e uma dose no Hospital Infor, uma no hospital São Bernardo e uma na UBS Montanhão

Diadema também estaria na lista e teria registrado três casos nas UBSs Maria Thereza, Nova Conquista e Centro.

Em São Caetano, teria sido duas doses aplicadas no Atende Fácil, enquanto em Ribeirão Pires teria tido um único caso.

Todas as Prefeituras negaram o fato e, portanto, contestam dados da reportagem

Leia a nota de cada uma delas:

Santo André  

“A Prefeitura de Santo André, por meio da Secretaria de Saúde, informa que a cidade não aplicou nenhuma vacina vencida. O município recebeu apenas vacinas do lote 4120Z005 da AstraZeneca com vencimento em 14 de abril e todas as doses deste lote foram aplicadas em tempo oportuno, ou seja, dentro do prazo de validade.”

São Bernardo

“A Prefeitura de São Bernardo, por meio da secretaria de Saúde, informa que nenhuma vacina fora do prazo de vencimento foi aplicada na cidade. Apenas um dos lotes mencionados na matéria foi enviado ao município e o mesmo foi aplicado na validade”.

São Caetano

“São Caetano não aplicou nenhuma dose de vacina fora do prazo de validade. A cidade recebeu apenas um dos lotes indicados – 4120Z005, no dia 26 de janeiro. Foi o primeiro lote de Covishield (Astrazeneca) que a cidade recebeu, com 3.700 doses e vencimento no dia 14 de abril. Foram utilizados para vacinar profissionais da Saúde e o primeiro público alvo de idosos, entre janeiro e fevereiro, portanto, dentro do prazo de validade.”

Diadema

“Em relação à matéria publicada nesta sexta-feira (2/7), no jornal Folha de S.Paulo, sobre denúncia de que milhares de brasileiros teriam tomado a vacina contra a covid-19 vencida, a Prefeitura de Diadema, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), tranquiliza os moradores de que não há na cidade doses armazenadas fora da data de validade.

Sobre as três doses aplicadas em unidades de Diadema que aparecem no sistema de consulta disponibilizado ao leitor, trata-se de erro de digitação e, já foi providenciada a correção no sistema. As doses recebidas no município foram todas aplicadas dentro do prazo de validade.

Segurança do paciente

É importante lembrar que o usuário, ao ser vacinado, recebe um cartão de vacinação onde são anotadas as informações sobre a vacina aplicada, como Lote e Fabricante. E, em caso de dúvida, ele pode sempre recorrer ao cartão para consultar as informações da dose que recebeu.

Em caso de alguma dúvida, saiba que os profissionais das unidades estão preparados para esclarecer todas as questões relacionadas à Campanha Municipal de Vacinação.

Importante citar ainda que Diadema tem uma campanha de comunicação institucional intitulada “Segurança na vacina”, com dicas para usuários e profissionais da saúde sobre a vacinação.

No material destinado aos profissionais e que fica fixado na sala de vacina, temos cinco dicas para uma vacinação segura levando em consideração os seguintes pontos: Paciente Certo, Vacina Certa, Momento Certo, Dose e via corretas e Preparo Certo”.

Ribeirão Pires

“A Prefeitura de Ribeirão Pires esclarece que não aplicou nenhuma vacina vencida em Munícipes da cidade. Recebemos no dia 26/01/2021 o lote 4120Z005 da vacina Astrazeneca com vencimento em 14/04/2021 e destinamos ao público dos profissionais da Saúde durante o mês de fevereiro. Ou seja: Nenhum cidadão ribeirão pirense recebeu a imunização com o lote vencido. Ribeirão Pires é exemplo na imunização. A população pode ficar tranquila, que todas doses recebidas são destinadas imediatamente à população, por isso, não aplicamos nenhuma dose vencida”, tranquilizou Audrei Rocha, Secretário Municipal de Saúde”.

Mauá

Diferentemente do divulgado nesta sexta-feira (02/07) pelo jornal ‘Folha de S.Paulo’ e replicado por outros meios de comunicação, Mauá não aplicou vacinas vencidas contra a Covid.

Dos lotes considerados suspeitos, o município recebeu apenas o 4120Z005, em 26 de janeiro deste ano. Essas vacinas tinham prazo de validade até 14 de abril. Todas as doses foram aplicadas até 5 de março, portanto, um mês e nove dias antes do vencimento.

A Prefeitura de Mauá esclarece que o engano deve ter ocorrido em razão de problemas no lançamento de dados no sistema do VaciVida, do governo estadual.

As datas de registro da vacinação de apenas 15 moradores (os que teriam sido imunizados com doses vencidas) ocorreu posteriormente à aplicação das doses, quando as vacinas já teriam passado do prazo de validade.

A Secretaria Municipal de Saúde está levantando as informações para identificar o ocorrido no lançamento das vacinas no sistema estadual.

Segundo a reportagem publicada pela Folha, milhares de cidades no país teriam aplicado vacinas vencidas. O Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde) e o Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) divulgaram nota oficial conjunta sobre as informações publicadas (https://www.conasems.org.br/nota-conjunta-conass-e-conasems-aplicacao-de-doses-vencidas-da-astrazeneca-friocruz/).

Todo o processo de imunização contra a Covid em Mauá é altamente controlado, e um dos critérios para que as vacinas sejam aplicadas é exatamente o prazo de validade das mesmas. A Prefeitura de Mauá preza pela vida dos munícipes e trabalha com responsabilidade.

Mauá aplicou 210.691 vacinas até essa sexta-feira, 2 de julho – 166.661 (primeira dose), 43.919 (segunda) e 111 (dose única). Além disso, foi uma das poucas cidades a não interromper a vacinação, mesmo antecipando a imunização a grupos prioritários e a novas faixas etárias.

A cobertura vacinal das primeiras doses alcançou nesta sexta-feira 49% da população com 18 anos ou mais e aptas a serem imunizadas.

A partir da terça-feira (06/07), Mauá inicia a vacinação ao público de 38 anos.

Veja os lotes que estariam vencidos de acordo com a reportagem

4120Z001 expirou em 29/03

4120Z004 expirou em 13/04

4120Z005 expirou em 14/04

CTMAV505 expirou em 30/04

CTMAV506 expirou em 31/05

CTMAV520 expirou em 31/05

4120Z025 expirou em 04/06

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações