Homem mata mulher e depois tenta tirar a própria vida em S.Caetano

 Crime aconteceu na rua Conselheiro Lafayete, no bairro Barcelona

 

Crime aconteceu na rua Conselheiro Lafayete, no bairro Barcelona. Foto: Reprodução

 

Elercione Almeida Nascimento, de 42 anos, matou a mulher Naira Naomi Motoki Tanaka, de 42 anos, na manhã desta segunda-feira (09/12), na rua Conselheiro Lafayette, no bairro Barcelona, em São Caetano. Depois do crime, o agressor ainda deu dois tiros contra ele mesmo, mas não morreu e foi socorrido na UPA (Unidade de Pronto Atendimento ), segundo informou o secretário da Segurança  do município, Jorge Salgado.

De acordo com as primeiras informações, houve uma discussão do casal, às 7h40,  na rua, e ele sacou a arma e disparou conta a companheira. Ele não aceitava o fim do relacionamento, conforme dizem vizinhos.

Viaturas das Polícias Civil e Militar estão no local da ocorrência. O caso será registrado na delegacia sede da cidade.

A Prefeitura informou que o estado de saúde do homem é grave.

Onze casos de feminicídio

 No ABCD, incluindo o crime desta segunda-feira, foram registrados neste ano 11 casos de feminicídio. Em 2 de fevereiro, a veterinária Paula Patrícia de Mello, de São Caetano, foi morta com 21 perfurações de faca. O namorado e autor do crime tentou o suicídio em 7 de fevereiro ao tentar se jogar do 4º andar o Complexo Hospitalar Márcia Braido, onde estava internado porque depois que matou a companheira escorregou no sangue e atingiu a própria barriga.

O assassino confesso estava algemado na cama do quarto do hospital, mas conseguiu se jogar junto com a própria grade onde estava preso. Givanilson acabou caindo no segundo andar do prédio e fraturou a perna e teve ferimentos na cabeça. Atulamente encontra-se preso.

Um dia depois a médica cubana Laidys Sosa Ulloa Gonçalves, de 37 anos, foi morta em Mauá com golpes de chave de fenda. O assassino é o próprio marido, o brasileiro Dailton Gonçalves Ferreira, de 45 anos, que enterrou o corpo em uma mata perto da Estrada dos Fernandes, em Ribeirão Pires. O homicídio aconteceu após uma discussão do casal na rua Francisco Inhesta Spinosa, no Jardim Olinda, onde os dois moravam.

Em 3 de março, Nayara Justino Lima, moradora do bairro de Ferrazópolis, em São Bernardo, foi morta pelo marido, Jucelio Alexandre da Silva, de 45 anos. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, o homem fugiu, mas antes deixou a filha de 4 anos com o irmão dele.

Colocou o corpo na geladeira

Em Santo André, dois casos de feminicídio ocorreram em 18 e 19 de março, sendo que em um deles Lucas Alves da Silva, de 24 anos, matou a namorada Engel Sofia Pironato, de 21 anos, e a colocou dentro da geladeira. Ao tentar fugir num carro de aplicativo foi preso.

No outro caso, também em Santo André, Elieide Rodrigues de Oliveira, de 38 anos, foi atropelada e baleada pelo marido na Rua Armando Mazzo, no Jardim Rina.

Em 18 de abril, São Bernardo registrou mais um feminicídio, na rua Nelson, no bairro Alves Dias. Um homem discutiu com a mulher na madrugada e a matou com arma branca no pescoço. De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança, o irmão do assassino foi quem encontrou Elisângela da Silva, de 33 anos, às 7h. O homem, de 31 anos, fugiu depois que cometeu o crime contra a companheira.

No dia 24 de abril, Viviane Miranda Maurício, de 26 anos, foi assassinada em apartamento no Parque São Vicente, em Mauá. O corpo foi escondido dentro de mala, no interior de um armário. O homem que a matou era seu amante.

Outro feminicídio foi da pastora evangélica Ieda Alvin Lino, de 42 anos, foi morta na madrugada desta sexta-feira (17/05) com golpes de faca pelo marido José Edson Lino Filho.

O nono feminicídio foi praticado pelo PM (Policial Militar) Thiago Rodrigo de Souza, de 36 anos, que atuava na Corregedoria da Polícia, e matou sua mulher, Marcela dos Santos Melo, de 31 anos, em 17 de junho. Depois de matar a esposa, o solado tirou a própria vida. O crime de feminicídio aconteceu na rua Campos Negreiros, 121, no Conjunto Maracanã, em Santo André.

Estrangulamento

Rosana Silvestre, de 38 anos, foi morta em 15 de setembro pelo marido, Fabio Alves Rodrigues, de 30 anos, no bairro Batistini, em São Bernardo. Depois de estrangular a esposa, o criminoso foi preso pela PM (Polícia Militar) em uma rua próxima à residência.

O corpo de Rosana foi encontrado padrasto do assassino, Pedro Henrique Chagas, de 72 anos. O sogro tinha ido à residência convidar Rosana para tomar um café da tarde. Quando chegou na casa, tocou a campainha várias vezes, mas  ninguém atendeu. Foi quando resolveu entrar e encontrou a nora morta em cima da cama.

Tentativa de feminicído

Em 6 de setembro, o morador de Diadema Deivid Paulino Silva Faria, de 34 anos, foi preso após tentar matar a mulher, Joice Rocha Martins, de  26 anos, com 15 golpes de faca e foi levada ao Hospital Estadual do Serraria. Durante a fuga, o criminoso foi preso por PMs (Policiais Militares) do 24º Batalhão. De acordo com a Polícia, o homem disse ter premeditado crime de feminicídio.

.