Enel afirma que vai isentar contas de luz de clientes que tiveram apagão

Mais visitadas

Empresa planeja compensar clientes afetados pelo apagão de novembro oferecendo isenção em três contas de luz para grupos específicos; Confira

Enel afirma que vai isentar contas de luz de clientes que tiverão apagão
Clientes sofrerão com apagão no último mês. Foto: Burak The Weekender/Pexels

A Enel-SP, distribuidora de energia, anunciou um plano de compensação para clientes afetados pelo apagão de 3 de novembro, causado por uma tempestade em São Paulo. A partir de dezembro, a empresa isentará três contas de luz para clientes que se enquadrem em critérios específicos.

Esses critérios incluem clientes de baixa renda cadastrados no programa Tarifa Social do governo federal, que ficaram sem energia por no mínimo 48 horas, e clientes eletrodependentes, que necessitam de aparelhos elétricos para sobreviver. Importante ressaltar que a isenção se aplica apenas aos clientes que já estavam inscritos nessas categorias antes do apagão.

Além disso, a Enel-SP oferece a possibilidade de zerar até três contas atrasadas para aqueles com débitos pendentes, substituindo a isenção nas futuras cobranças. A empresa assegura que a isenção será aplicada automaticamente aos clientes elegíveis, sem a necessidade de contato prévio para registrar a falta de energia.

Veja também: Ficou sem luz? Saiba como verificar o desconto na fatura

Pendências com a CPI e plano de indenização das contas de luz

Apesar dessas medidas, a Enel-SP enfrenta questionamentos da Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). A CPI investiga a atuação da empresa desde que assumiu a distribuição de energia na região. A Enel-SP não cumpriu o prazo estabelecido pela CPI para apresentar um plano de indenização aos consumidores afetados pelo apagão.

Compromisso da Enel com a indenização

O presidente da Enel-SP, Max Xavier Lins, comunicou à CPI que a empresa não teve tempo hábil para elaborar um plano de indenização adequado. Ele também mencionou que a Enel-SP não assinou o Termo de Ajustamento de Conduta proposto pelo Ministério Público. No entanto, Lins assegurou que a empresa apresentará um plano de ressarcimento até 6 de dezembro.

Veja também: Show aéreo? Sidney Magal canta para passageiros em voo

Mais publicações

Últimas publicações