Em S.Bernardo, parte dos alunos da rede não está com as vacinas em dia

Prefeito Orlando Morando sancionou lei que obriga pais a apresentarem caderneta de vacinação no ato da matrícula escolar

 

Prefeito Orlando Morando sancionou nesta sexta-feira lei que obriga pais a apresentarem caderneta de vacinação no ato da matrícula escolar. Foto: Divulgação/PSBC-Gabriel Inamine

A cidade de São Bernardo conta com 82 mil alunos na rede municipal, mas parte dos alunos ( em torno 50%) não está com todas as vacinas em dia. A informação foi dada nesta sexta-feira (25/10) durante a sanção da lei de número 6838/19, de autoria do prefeito Orlando Morando (PSDB), que determina a caderneta de vacinação como documento obrigatório na matrícula e rematrícula. O evento aconteceu na EMEB Vereador José Avilez, bairro Demarchi.

“Mandaremos agentes da saúde até essas famílias e, se não for da vontade própria, não poderemos obrigar, mas vamos comunicar ao Conselho Tutelar, ao Ministério Público e tomar medidas junto à Procuradoria do município, visando garantir a imunização dessas crianças”, disse o prefeito, ao acrescentar que se as crianças não tomam vacina podem contrair doenças e levar para outras pessoas dentro do ambiente escolar. “O pai que não vacina o filho compromete também a saúde do filho dos outros. Tem gente que acha que não precisa vacinar ou pensa que a vacina deixará doente. Isso é um absurdo”, alertou o prefeito.

O levantamento, segundo o prefeito, foi feito pela Secretaria da Saúde, coordenada pelo médico Geraldo Reple Sobrinho. “O que nos preocupa é a vacina da poliomielite. Estamos apenas com 68% de cobertura e a recomendação é de 95%. Os mais jovens não convieram com a paralisia infantil e não sabem como é algo grave”, enfatizou o secretário.

De acordo com Reple, apenas 58% foram vacinados contra a febre amarela. O maior índice de vacinação envolve contra o sarampo, em torno de 94%. “Estamos em meio a uma epidemia, falta pouco para atingir, mas precisamos atingir a meta”, alertou.

O diretor da Vigilância Sanitária, Wagner Koruiwa, disse sobre a importância da  vacinação para evitar doenças. “A ideia é promover uma conscientização e participação social visando a coberta ideal de todas as vacinas”, afirmou.

A secretária de Educação, Silvia Donnini, disse que a parceira das Secretarias de Saúde e Educação na implementação dessa lei será muito importante. “A caderneta de vacinação fará parte da documentação pedagógica”, informou. “É pela escola que podemos mobilizar a família dos nossos alunos. A Saúde fará as notificações e orientações necessárias quando a carteira de vacinação não estiver atualizada. Sempre reforçando em sala de aula que os cuidados devem se tornar prática e serem adotados todos os dias”, concluiu.

 

Evento para a sanção da lei aconteceu na EMEB Vereador José Avilez, bairro Demarchi. Foto: Divulgação/PSBC-Gabriel Inamine