18 de maio de 2022

Diadema inicia nesta sexta vacinação de crianças de 9 anos

Mais visitadas

Doses estão disponíveis nas 20 Unidades Básicas da Saúde (UBSs), de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h

criança vacinada
Diadema inicia vacinação de crianças contra Covid-19. Foto? Divulgação/PDA

Diadema começa a vacinação das crianças de 9 anos ou mais, sem comorbidades, nesta sexta-feira (21/01). O município já tinha dado início à aplicação nas crianças de 11 anos nesta quinta-feira (20), mas, diante da autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aplicação da vacina Coronavac, do Butantan, será possível flexibilizar ainda mais a Campanha de Vacinação Infantil no município.

As doses estarão disponíveis nas 20 Unidades Básicas da Saúde (UBSs), de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h. Para agilizar a vacinação, a Secretaria Municipal de Saúde recomenda que os pais façam o pré-cadastro no site Vacina Já (www.vacinaja.sp.gov.br). Basta o responsável acessar o endereço, clicar no botão “Crianças até 11 anos” e preencher o formulário.

Dia de esperança

Diadema deu início nesta quinta-feira (20/11), a imunização das crianças de 11 anos sem comorbidades. Na UBS Centro, o sentimento dos pais que atenderam ao chamado em prol da imunização foi de alívio e esperança.

A mamãe Mônica Tavares levou a filha Eloise de Oliveira Tavares. “Esperamos tanto por esse momento, é motivo de esperança. Tantas vidas se perderam. Não via a hora de chegar o dia da minha filha se vacinar. Em casa, a família toda está vacinada e só faltava ela. A vacinação faz diferença, por isso quis vir no primeiro dia”.

Lucas Campos Gonzaga veio acompanhado da mãe Neuza de Fátima Gonzaga Campos. O pequeno explicou por que foi tomar vacina logo no primeiro dia: “Para prevenir e cuidar da minha saúde e de todo mundo”. E emendou o recado: “Fiquei preocupado com a covid-19. Agora com a vacina a gente vai poder voltar para a vida normal. Pode vir tomar a vacina, gente”, garantiu.

Mara Suarez de Souza Marques levou o filho André Suarez Marques. “Temos de preservar a vida. É um cuidado que você tem que ter com você e sua família. Graças a Deus foi liberada a vacinação das crianças e estamos muito felizes. Viemos assim que possível e acho importante que a comunidade e todos tenham essa consciência e tragam seus filhos para tomar a vacina”.

Já Beatriz Alves dos Santos Tavares veio com os pais George Garcia Tavares e Alessandra Alves dos Santos Tavares. “É momento de alegria, de liberdade, de começar a pensar na vida normal, de voltar para a escola (ela está fazendo aula online), já estamos pensando nessa volta dela. A vacina é um divisor de águas. Desde dezembro, quando a Anvisa aprovou a vacinação das crianças, estávamos muito ansiosos para essa vacinação e ela também”, disse o pai George.

“Estava contando os dias para tomar a vacina, porque quero voltar para a escola e ver meus amigos. Pode vir tomar a vacina que não dói nada. Estou muito feliz”, contou Beatriz.

Coronavac para crianças

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu nesta quinta (20/01) autorizar a aplicação da vacina Coronavac, do Butantan, em crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos. De acordo com a decisão, a aplicação será em duas doses aplicadas com intervalo de 28 dias. Ela está liberada para o público com comorbidades (doenças ou condições prévias que agravam a Covid-19), mas não em imunossuprimidos, que são pessoas com baixa imunidade.

O Governo do Estado de São Paulo divulgou o novo cronograma: o primeiro grupo é o das crianças de 9 a 11 anos, que já começaram a ser vacinadas e poderão receber a primeira dose até o próximo dia 30. Em seguida, entre 31 de janeiro e 10 de fevereiro, será a vez dos pequenos de 5 a 8 anos. As crianças de 5 anos serão vacinadas exclusivamente com o imunizante da Pfizer pediátrica.

Quem pode se vacinar

Crianças sem comorbidades, desde que tenham 9 anos completos ou mais na data da vacinação, e as crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiência permanente, indígenas ou quilombolas.

Para receber o imunizante, os pais ou responsáveis devem procurar a UBS mais perto de casa.  A criança deve estar acompanhada de pais ou responsáveis acima de 18 anos e apresentar toda a documentação obrigatória, como CPF, documento pessoal com foto ou certidão de nascimento, comprovante de endereço de Diadema e caderneta de vacinação de rotina.

No caso das crianças com comorbidades é necessário documentação que comprove a condição clínica, como exames, laudos, receitas, relatórios ou prescrição médica. O município segue a listagem de comorbidades do Ministério da Saúde.  Destacando que os autistas e as crianças com epilepsia foram incluídos na primeira etapa da vacinação infantil em Diadema.

 

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações