26 de novembro de 2021

Deic prende homem suspeito de financiar ataques em Araçatuba

Mais visitadas

Preso teria fornecido R$ 600 mil para bancar esquema de roubos a bancos; mulher e ajudante também são detidos

 

Paulo César Gabrir, de 33 anos, seria o financiador dos ataques em Araçatuba. Foto: Reprodução TV Record

 

A Polícia Civil prendeu Paulo César Gabrir, de 33 anos, apontado como o diretor financeiro da estrutura que permitiu o grande ataque contra instituições financeiras em Araçatuba. A ação aconteceu na manhã desta terça-feira (07/09), no município de Sorocaba. Outros dois suspeitos foram detidos durante a ação, sendo a sua mulher, Michele Maria da Silva, e um ajudante .

As atividades foram realizadas por policiais da 1ª Delegacia da Divisão de Investigações Sobre Crimes Contra o Patrimônio (Disccpat), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), que receberam informações sobre um homem que mantinha um padrão alto de consumo, ostentava veículos de luxo e poderia estar envolvido na invasão à Araçatuba.

As indicações levaram até um imóvel no Parque São Bento, em Sorocaba. No endereço, as equipes avistaram uma picape VW/Amarok e conseguiram localizar o suspeito alvo de investigação, que estava acompanhado de uma comerciante, que constava como foragida por tráfico.

Foi realizada abordagem e durante os trabalhos chegou ao local um mecânico, conduzindo uma BMW. Foi também realizada consulta e verificado que ele tinha saído recentemente de um presídio na região de Araçatuba.

Os policiais fizeram uma busca na residência e, mais precisamente no quarto, encontraram uma grande quantidade de documentos relacionados ao crime organizado que indica a presença dele em atividades em vários estados brasileiros.

Durante a ação, o primeiro abordado admitiu ter financiado a operação para roubar os bancos em Araçatuba e, inclusive, revelou informalmente que a logística da invasão àquela cidade custou R$ 600 mil. Os três foram autuados por organização criminosa.

Outros cinco suspeitos de envolvimento nos crimes já haviam sido detidos pelas polícias. Os materiais foram encaminhados à Polícia Federal, que prossegue com as investigações para esclarecimento dos fatos.

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações