Construção de piscinão Jaboticabal começa a sair do papel

 Estado iniciou processo de desapropriação das áreas necessárias para implementação do equipamento de combate às enchentes

 

isenções
Construção de piscinão vai amenizar problemas de enchentes no ABCD. Foto: Reprodução

O Governo do Estado de São Paulo publicou o Decreto de Utilidade Pública (DUP) para desapropriação das áreas necessárias para a construção do Piscinão Jaboticabal, apontado pelo Plano Regional de Macro e Microdrenagem do Grande ABC, elaborado pelo Consórcio Intermunicipal Grande ABC, como o principal projeto de combate às enchentes da região.

O decreto delimita como de interesse público área total de 166.944,70 metros quadrados na Vila Livieiro, bairro da capital paulista na divisa com São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul. O documento, assinado pelo governador João Doria, foi publicado no Diário Oficial do Estado no último dia 24. O texto autoriza o Departamento Estadual de Águas e Energia Elétrica (DAEE) a invocar caráter de urgência no processo judicial de desapropriação.

A construção do Piscinão Jaboticabal nas proximidades da Rodovia Anchieta e na confluência entre os ribeirões dos Couros e dos Meninos, na divisa entre São Bernardo, São Caetano e São Paulo, é uma demanda antiga do Consórcio ABC, órgão financiado pelas prefeituras para elaboração de políticas públicas regionais, e debatida há pelo menos dez anos.

O projeto foi destravado em março, após fortes chuvas que atingiram a região. Na ocasião, os prefeitos das sete cidades, liderados pelo presidente do Consórcio ABC e prefeito de Santo André, Paulo Serra, fizeram reunião com o governador João Doria e apresentaram documento que apontava a importância da obra no combate às enchentes no Grande ABC.

 

“Essa é uma conquista muito importante para a região e para o Consórcio ABC. O grande obstáculo para o piscinão sair do papel foi vencido, que era o Governo do Estado assumir a desapropriação, o que ocorreu a partir desse decreto publicado”, afirmou Paulo Serra.

Em 2016, o Consórcio ABC contratou o Plano Regional de Macro e Microdrenagem do Grande ABC, tendo entre seus objetivos o levantamento das medidas estruturais que devem ser implementadas para combater as enchentes, seguindo as diretrizes de impactos e benefícios regionais. Entre as 259 medidas estruturais propostas no plano, o Piscinão Jaboticabal destacou-se como a obra mais importante para o combate às enchentes no Grande ABC.

De acordo com o estudo contratado pela entidade regional, a obra deve beneficiar cerca de 930 mil pessoas, considerando população e o fluxo de pessoas nas vias próximas. O Piscinão Jaboticabal tem capacidade para retenção de 900 mil metros cúbicos de água e orçado em torno de R$ 400 milhões.


Impactos

A paralisação por conta de alagamentos, por exemplo, na via Anchieta, entre os km 10 e 14, representa impacto significativo para a economia e o trânsito regional. De acordo com estudo estimativo contratado pelo Consórcio ABC em 2014, considerando o período histórico de 2004 a 2013, o custo provocado pelas enchentes no Grande ABC, sem considerar as perdas externas, somaram cerca de R$ 42 milhões por ano para este período – dados estes que podem ser considerados subestimados, segundo o estudo.

“Esses dados mostram a magnitude e importância dessa obra para o combate às enchentes da região. O diálogo com o Governo do Estado para que esse projeto saia do papel é uma das prioridades do novo modelo de gestão do Consórcio ABC”, afirmou o presidente da entidade regional e prefeito de Santo André, Paulo Serra.