Câmara de Mauá aprova continuidade do processo de impeachment de Atila

 Somente o pai do chefe do Executivo, Admir Jacomussi, e o vereador Ricardinho da enfermagem votaram contra

 

Câmara de Mauá aprova continuidade de impeachment. Foto: Gislayne Jacinto

O Legislativo de Mauá aprovou nesta terça-feira, por 21 votos a dois, a continuidade de um dos pedidos de impeachment do prefeito Atila Jacomussi (PSB), que saiu da cadeia na sexta-feira (15/02) e voltou para o comando do Paço depois de 67 dias. Os únicos que votaram contra foram Admir Jacomussi (PRP), pai do prefeito, e Ricardinho da Enfermagem (PTB).

O que foi votado e aprovado em plenário foi o parecer da Comissão solicitada pelo morador Davidson Rodrigues de Souza, que acusa Atila de praticar crime de responsabilidade ao deixar o cargo vago enquanto estava preso na Penitenciaria do Tremembé. A LOM (Lei Orgânica do Município) prevê ausência por apenas 15 dias sem pedir autorização do Legislativo.

Com o prosseguimento do processo, agora, começa instrução, ou seja, passa-se a fase da investigação dos fatos e a denúncia feita pela PF (Polícia Federal). Nessa etapa, também são ouvidas as testemunhas.

Várias pessoas foram à Câmara para apoiar o prefeito e vaiaram os vereadores por conta do posicionamento favorável à continuidade do processo de impeachment.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*