Bandido clona aplicativo de compras e Whatsapp e pratica golpes em S.Caetano

Estelionatário é preso após fazer compra pelo aplicativo Rappi e também receber doação de forma ilícita de R$ 900

 

Estelionatário é preso por policiais do 6º Batalhão da PM após fazer compra pelo aplicativo Rappi e também receber doação de forma ilícita de R$ 900. Foto: Divulgação

 

Policiais Militares do 6º Batalhão da PM prenderam na noite desta quarta-feira (02/09) um criminoso que clonava Whatsapp e também aplicativos de compras de refeição. A amiga de uma das vítimas chegou a depositar R$ 900 na conta do estelionatário.

O bandido foi preso porque durante patrulhamento ostensivo na avenida Conde Francisco Matarazzo, no Centro, uma equipe policial foi solicitada por um rapaz que se identificou como entregador do aplicativo RAPPI, informando que estava prestes a realizar uma entrega, e que  pelo Chat da empresa foi informado por uma cliente para não realizá-la, pois seu aplicativo havia sido clonado, sendo realizadas diversas compras. Para saber quem era o criminoso que estava prestes a receber a encomenda de forma ilícita,  a equipe policial ficou pronta para agir e fazer o flagrante.

Assim que a encomenda foi entregue ao suspeito, os PMs o abordararam e questionaram sobre a compra dos produtos. Ele ficou extremamente nervoso e tremia muito. O homem tentou argumentar que estava apenas recebendo os produtos para um amigo que estava na região de Itaquera. No entanto, não soube informar o nome completo nem onde residia esse suposto colega.

O entregador fez contato com a Central da Rappi, onde o operador informou que já havia uma reclamação e que a entrega era fraude.

Diante dos fatos, a equipe conduziu as partes ao DP (Distrito Policial). Com a chegada da vítima, a Policia descobriu também que  a conta do app WhatsApp dela também havia sido clonado e que o estelionatário usou a lista de contatos para pedir dinheiro a eles. Uma de amigas caiu no golpe e depositou a quantia de R$ 900.

Ciente dos fatos, a delegada de plantão, Rita Mara dos Santos Estraioto, elaborou um boletim de ocorrência enquadrando o homem em crime de estelionato, permanecendo o indiciado à disposição da Justiça.