Auricchio entrega Orçamento na Câmara com acréscimo de 9% na receita

Prefeito de São Caetano diz que peça orçamentária prioriza áreas sociais como saúde e educação

 

Prefeito Auricchio entrega Orçamento ao presidente da Câmara, Pio Mielo, e diz que vai priorizar áreas sociais como saúde e educação. Foto: Divulgação/PSCS-Letícia Teixeira

 

O prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), entregou na Câmara nesta quinta-feira (31/10) o Orçamento para o ano que vem. A arrecadação projetada soma R$ 1,6 bilhão. “O acréscimo será de 9%, mas, se tirar a inflação do período, o aumento real será de 6%”, afirmou.

De acordo com Auricchio, a intenção é investir principalmente nas áreas socais, como Educação (30% da receita corrente líquida) e Saúde (24%).

Ao ser indagado, como São Caetano conseguiu aumentar o orçamento do ano que vem, já que muitos municípios brasileiros enfrentam problemas com quedas na arrecadação, o prefeito afirmou que o crescimento se dará por conta de operações de créditos, que são recursos externos que chegarão na cidade para investimentos.

Operação de Crédito

Entre as operações de crédito está uma no valor de R$ 54 milhões, cujo projeto já tramita na Câmara. De acordo com o prefeito, algumas obras serão bancadas com linha de crédito do Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento). “Podemos citar a reforma do Teatro Paulo Machado de Carvalho, troca de lâmpadas por Led, cujo projeto está orçado em R$ 12 milhões, além da construção do o Parque Tamoyo”,afirmou.

Nesse último projeto, haverá a transformação da área do Clube Esportivo Pedro Furlan (antigo Tamoyo), no bairro Cerâmica, em parque, interligado a equipamento nos mesmos moldes no Espaço Cerâmica. O investimento será de R$ 7 milhões.

Votação

O presidente da Câmara, Pio Mielo (MDB), disse que o Orçamento deve ser votado nas sessões dos dias 19 e 26 de novembro.

Ao ser questionado se haverá emendas impositivas indicadas pelos vereadores, o chefe do Legislativo disse que, apesar de não ser algo formalizado, os parlamentares indicam obras e serviços para serem executados dentro Orçamento. Auricchio não descartou pensar nessa possibilidade de se criar as emendas parlamentares no futuro.