Após morte de jovem, ONG ABCD´S cobra mais segurança em app de relacionamento

Mais visitadas

Presidente da ONG, Marcelo Gil, envia ofício à Secretaria Nacional de Segurança no qual solicita que seja exigida das donas de aplicativos, a apresentação à polícia de dados de pessoas envolvidas em crimes como o de Yago

jovem Yago
Yago foi encontrado carbonizado em região de mata em Itapecirica da Serra. Foto: Divulgação

Após um crime que chocou o País nesta semana envolvendo um jovem de São Bernardo que foi morto carbonizado em Itapecerica da Serra após marcar encontro por meio de aplicativo de relacionamento, a ONG ABCD´S (Ação Brotar pela Cidadania e Diversidade Sexual), presidida por Marcelo Gil, enviou ofício nesta quarta-feira (09/03) à Secretaria Nacional de Segurança Pública cobrando providências para que as empresas donas de aplicativos sejam obrigadas à fornecer à Polícia dados de pessoas envolvidas em crimes, principalmente contra o público LGBTQIA+.

Yago Henrique França, de 29 anos, membro da ONG, foi morto em 27 de fevereiro, após marcar um encontro por meio de um aplicativo de namoro. O corpo foi localizado em uma região de mata em Itapecerica da Serra, mas a família encontrou o corpo no IML (Instituto Médico Legal) de Taboão da Serra, apenas uma semana depois.

No documento enviado ao governo federal, a ONG cita os aplicativos Tinder, Hornet, Scruff e Grindr. Esse último foi o utilizado por Yago para marcar um encontro com um rapaz que seria de Embu.

Para o Presidente  e fundador da ONG ABCDS não há dúvidas de que foi um crime de ódio motivado por homofobia.

Leia a íntegra do ofício:

ofício
Ofício enviado à Secretaria Nacional de Segurança Pública. Foto: Divulgação/ONG ABCD´S

Dicas da ONG ABCD´S não cair nos golpes usados por criminosos nos apps

cartilha da ong
cartilha da ong

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações