Após 13 anos no cargo, presidente da Bolívia, Evo Morales, renuncia  

Mais cedo, Morales já havia anunciado que convocaria novas eleições após denúncias de fraudes nas eleições de outubro

Evo Morales renuncia ao cargo de presidente da Bolívia. Foto: Reprodução

 

O presidente da Bolícia, Evo Morales, renunciou ao cargo neste domingo (10/11) depois de enfrentar tensões no País. O vice-presidente, Álvaro García Linera, também apresentou a renúncia. Ambos enfrentavam tensões e conflitos no país. Morales fez o pronunciamento em rede nacional de pela televisão.

O ex-presidente fez acusações à oposição por conta de atos violentos na Bolívia. “Por essas e muitas razões, estou renunciando, enviando a minha carta renúncia à Assembleia Legislativa Plurinacional da Bolívia. Muito obrigado”.

Mais cedeo, Morales tinha declarado que  convocaria novas eleições, após a OEA (Organização dos Estados Americanos), denunciar fraudes nas  eleições de 20 de outubro.

Pouco antes da renúncia, opositores aos seu governo, os chefes das Forças Armadas e da Polícia pediram a Evo Morales que renunciasse para “pacificar” a Bolívia.

Morales disse em seu discurso que se considera vítima de um golpe “cívico político e policial” e acrescentou estar abrindo mão do cargo para conter o avanço da violência no País, em especial contra membros de seu governo e correligionários. Durante manifestações pelo País, casas de políticos foram saqueadas.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*