Vôlei de S.Caetano aceita convite e disputará Superliga Feminina

Equipe  ganha força para buscar um patrocinador após a saída do São Cristóvão Saúde

Equipe  de vôlei busca um patrocinador após a saída do São Cristóvão Saúde. Foto: Divulgação/Osvaldo F.-Contrapé

 

Com grande tradição no vôlei feminino, campeã da Liga Feminina na temporada 1991/92, com a ponta Ana Moser, a Associação Atlética São Caetano aceitou convite da CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) para participar da Superliga Feminina Banco do Brasil 2020/2021.

O time tem tradição de formar jogadoras para as seleções e os outros clubes e procura novo patrocinador. “São Caetano disputará a Superliga Banco do Brasil entre as 12 melhores equipes do país, a partir de novembro de 2020. São 25 anos de Superliga, sai patrocinador, entra parceiro, mas sempre com o apoio da Prefeitura de São Caetano estivemos no vôlei. Mas mesmo na Liga B íamos continuar. Estamos vivos”, confirmou Marina Miotto, supervisora da equipe.

Com a confirmação, São Caetano ganha força para buscar um patrocinador após a saída do São Cristóvão Saúde, que foi parceiro por sete anos consecutivos.

A Associação tem feito contatos com agências e empresas para que São Caetano possa montar um time competitivo, apesar das dificuldades adicionais por causa da pandemia da Covid-19. A presença na Superliga abre possibilidades mais promissoras de novo patrocínio. O time também conta com um bom ginásio para jogar (o Milton Feijão, no Complexo Esportivo Lauro Gomes) e tem torcida em todas as suas partidas.

“Disputando a Superliga, a equipe tem mais exposição. Fácil nunca é, mas aumenta a chance de conseguir o patrocínio que precisamos. Tem televisão (nesta última edição, o campeonato foi mostrado pelo SporTV, TV Cultura e TVN Sports) e isso ajuda bastante. Os outros clubes, todos, reconhecem e falam da importância do nosso trabalho no cenário nacional, todo mundo dá os parabéns. Então, o que temos é de conseguir um patrocinador para sermos mais competitivos na Superliga”, explicou o treinador Fernando Gomes.