7 de maio de 2021

Vídeo: Moradores são agredidos por motoqueiros que fazem bololo em Diadema

Mais visitadas

GCM foi ao Morro do Samba e evitou realização de pancadão no local

 

Moradores do Morro do Samba, em Diadema, foram agredidos na noite deste domingo (18/04) após realizarem manifestação contra dezenas de motoqueiros que fazem todos os fins de semana o chamado “bololo”, termo usado para identificar barulhos altos provocados por motos.

Além do risco de acidentes, o “bololo” de motos tira a paz de moradores. As famílias afirmam que não aguentam mais tanto transtorno e algazarra. Os motoqueiros não são só de Diadema. Muitos são de outros municípios da região metropolitana.

A prática do bololo é considerada ilegal e o condutor pode perder o direito de dirigir ao ser multado pelas manobras arriscadas.

A GCM (Guarda Civil Municipal) esteve no local e impediu também a realização de baile funk que costuma ocorrer no local. Foram apreendidas duas motocicletas e dois automóveis que tinham muitos equipamentos de som.

A Prefeitura confirma a presença da GCM no local, mas ressalta não ter chegado ao conhecimento da Corporação que moradores tenham sido agredidos. “Quanto às agressões, não chegou nenhuma informação ao Comando da GCM e, verificado junto ao distrito policial, também não consta ter sido elaborado nenhum boletim de ocorrência a respeito”, afirmou no da Secretaria de Defesa Social.

A Pasta ainda afirmou que nesse núcleo, a GCM tem realizado a Operação Paz e Proteção, no período noturno, sempre aos fins de semana. A medida teve início em 19 de março com o objetivo de evitar essas festas clandestinas.

 

Moradores são agredidos por motoqueiros que fazem bololo em Diadema. Foto: ABCD Jornal

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações