Vice-prefeito de S.Bernardo é acusado de tentar “comprar” apoio por R$ 30 mil

 Vídeos, conversas em celular e dinheiro foram entregues à Polícia por assessora do deputado federal Alex Manente

vice-prefeito
Vice-prefeito é acusado de levar dinheiro em espécie à assessora de Alex Manente. Foto: Reprodução

A Polícia Civil de São Bernardo investiga denúncia de “compra de apoio” contra o vice-prefeito de São Bernardo, Marcelo Lima (PSD), candidato a deputado federal. A acusação foi feita pela assessora parlamentar do deputado federal Alex Manente (PPS), Carolina Nunes Petrolini Neta. De acordo com a denunciante, o vice-prefeito teria levado até ela R$ 30 mil em espécie.

Para provar a denúncia, a assessora do deputado entregou à polícia as cédulas e também o seu aparelho celular, no qual teriam mensagens que provariam a negociação para a entrega, em mãos, do dinheiro.

A Polícia foi procurada pela assessora parlamentar em 19 de junho. Caroline, em depoimento, afirmou que não aceitou a verba porque não sabia a origem do dinheiro, ou seja, se a verba era lícita.

Segundo a denunciante, o vice-prefeito Marcelo Lima foi ao seu apartamento, em 14 de junho, com uma pequena sacola, de onde ele teria sacado um embrulho com os R$ 30 mil. Nas imagens do prédio, o vice-prefeito aparece carregando uma sacola.

Em depoimento, Carolina ainda afirmou à Polícia que além dos R$ 30 mil, teria um cargo na Prefeitura comandada por Orlando Morando (PSDB) e ainda receberia mensalmente R$ 10 mil “por fora”.

A assessora parlamentar disse também à Polícia que a oferta teria sido feita para que apoiasse as candidaturas de Marcelo Lima a deputado federal e da a primeira-dama de São Bernardo, Carla Morando (PSDB) a deputada estadual.

O vice-prefeito Marcelo Lima foi procurado, mas até o fechamento da reportagem não deu retorno para se posicionar sobre o assunto. À Revista Veja, o vice negou as acusações. “É uma história que foi montada, é uma história inverídica. Jamais levei nenhum real à casa dela e nem de ninguém. Repudio qualquer tipo de informações inverídicas que envolvam meu nome e minha honra. Tomarei atitudes jurídicas”, disse o vice-prefeito à revista.

A primeira-dama de São Bernardo, Carla Morando, disse que os fatos não procedem e que seriam mentiras que ocorrem durante as campanhas eleitorais.