1 de dezembro de 2021

Vereadores da oposição acionam MP contra reforma administrativa de Filippi

Mais visitadas

Eduardo Minas, Márcio Júnior e Reinaldo Meira acusam governo de infringir regras da Constituição

Reinaldo Meira, Eduardo Minas e Márcio Júnior acionaram o Ministério Público contra a reforma administrativa. Foto: Divulgação

Três vereadores da oposição em Diadema protocolaram no MP (Ministério Público) na tarde desta quinta-feira (24/06) uma representação contra a reforma administrativa do prefeito José de Filipi Júnior (PT) aprovada recentemente na Câmara.

Eduardo Minas (Pros), Reinaldo Meira (Pros) e Márcio Júnior (Podemos) denunciaram à Promotoria  Pública que o governo deixou de especificar no projeto as atribuições dos cargos comissionados criados, como determina o STF (Supremo Tribunal Federal). “A procuradoria da Câmara já tinha alertado a irregularidade em um parecer, mas o governo  ignorou o fato. Por isso, decidimos acionar o Ministério Público”, afirmou Eduardo Minas.

O parecer foi assinado pela procuradora Laura Elizandra Machado Carneiro, que apontou a inconstitucionalidade porque as funções em comissão tem de ser  “descritas, de forma clara e objetiva, na própria lei que os instituir”.  .

Reforma

A reforma aprovada recriou cargos comissionados extintos na mesma medida e  transferiu setores das pastas, além de ter renomeado secretarias. O projeto prevê uma redução de gastos de apenas R$ 2.841.

Houve a extinção de 32 cargos ao mesmo tempo que criou outros 32 cargos, com redução nos gastos anuais de R$ 945.  O projeto ainda cortou 21 dos 26 cargos gratificados cuja economia será de R$ 1.906 por ano.

A nova lei determina que a Secretaria do Meio Ambiente passa a ser Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, incorporando o Departamento de Limpeza que era da Secretaria de Obras; a Divisão de Serviços Funerários, Cemiteriais e Apoio Legista deixa de fazer parte da Secretaria de Defesa Social e a Divisão de Fiscalização vem da Secretaria de Segurança Alimentar, com a respectiva estrutura de serviço.

Criou-se ainda a Secretaria de Governo que recebeu estrutura de Assessorias  e Coordenadorias do Gabinete do Prefeito e a Ouvidoria Geral que sai da Secretaria de Defesa.

Houve também a extinção do Departamento da Controladoria da Secretaria de Finanças e a criação da Coordenadoria do Sistema de Controle Interno no Gabinete do prefeito.

Outro lado

A Prefeitura nega que tenha infringido as regras da Constituição. Leia a íntegra da nota d governo Filippi.

“A Assessoria de Imprensa informa que Prefeitura mantém a posição de que o artigo 91 o projeto de lei nº 006/2021, que trata da reformulação administrativa da Prefeitura Municipal de Diadema não contém nenhuma inconstitucionalidade, visto que a feição dos cargos que ali estão sendo criados respeita na íntegra os preceitos contidos no inciso V do artigo 37 da Constituição Federal. Não há, portanto, afronta à Constituição Federal no que tange à criação desses cargos.

O referido projeto de lei altera a lei municipal complementar nº 036 de 17 de novembro de 1995. Por ocasião da promulgação desta última lei, a orientação com relação à descrição de atribuição dos cargos em comissão era a de que fosse feita por meio de decreto, com autorização legislativa para tanto, como ocorreu com o PL enviado à Câmara. A partir de 2018, entretanto, o Supremo Tribunal Federal firmou jurisprudência no sentido de que esta descrição deva fazer parte do próprio corpo da lei. Por esta razão, e em respeito a esta nova orientação, a Prefeitura de Diadema enviará oportunamente projeto de lei com a finalidade de compatibilizar com a mesma a legislação aprovada”.

 

 

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações