Vereador vai ao MP contra vetos de Atila ao projeto da Sabesp

Adelto Cachorrão quer que prefeito de Mauá seja enquadrado em crime de improbidade por conta de vetos que tratam de investimento na cidade

 

Vereador Adelto Cachorrão quer que prefeito de Mauá seja enquadrado em crime de improbidade por conta de vetos que tratam de investimento na cidade. Foto: Reprodução- Facebook

 

O vereador de Mauá Adelto Cachorrão (Avante) entrou nesta terça-feira (21/01) com um a representação no MP (Ministério Público) contra vetos do prefeito Atila Jacomussi (PSB)  ao projeto de lei que autorizou a concessão dos serviços de abastecimento de água na cidade à Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo).

Ocorre que o prefeito vetou na semana passada o artigo que obrigaria estatal a destinar R$ 80 milhões em investimentos para a cidade.

Nas redes sociais, Adelto Cachorrão disse que “é abusivo, arbitrário, irresponsável, ditatorial, antidemocrático e suspeito”, o ato do prefeito e que sua iniciativa “causa prejuízos incalculáveis o município de Mauá”.

Na Promotoria, o parlamentar solicita que Atila seja enquadrado em crime de improbidade  administrativa e ainda pede uma liminar para garantir a suspensão dos efeitos da lei da terceirização da Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá). O vereador justificou que  Atila descumpriu a LOM (Lei Orgânica Municipal) ao não mandar para a análise do plenário da Câmara os vetos ao projeto de lei.

O governo de Atila emitiu uma nota oficial sobre a representação. “Informamos que seguimos todos os ritos legais e que avançamos nas tratativas para resolver um problema de décadas na cidade: a falta de água. A Sabesp assumirá a distribuição de água em Mauá e manterá o cronograma de investimentos, além da diluição da dívida no prazo de concessão. Entendemos como lamentável a atuação de agentes públicos que vêm na contramão da solução ao maior anseio popular neste momento”, concluiu.