Trabalhadores na Mercedes aprovam acordo que garante futuro da planta de S.Bernardo 

Mais visitadas

Pelo acordo, os funcionários com contrato por prazo determinado terão prioridade de contratação assim que houver a retomada do crescimento da produção

assembleia
Trabalhadores da Mercedez Bens, planta de São Bernardo do Campo, realizam assembleia em frente a se dos Sindicato dos Metalúrgicos do ABC para decisão sobre os futuros impactos da política de terceirização da empresa. Foto: Divulgação/Andris Bovo-SMABC

Em assembleia realizada neste sábado (12/11), na sede dos Metalúrgicos do ABC, os trabalhadores na Mercedes-Benz aprovaram a proposta negociada entre o Sindicato e empresa que garante a redução do impacto da terceirização, anunciada pela montadora em setembro. O acordo assegura a realocação e a requalificação de todos os trabalhadores nas áreas envolvidas e o futuro da planta de São Bernardo.

Para garantir a realocação será aberto um Plano de Demissão Voluntária (PDV) para todos os metalúrgicos na fábrica. Estão aptos ao PDV trabalhadores com, no mínimo, três anos de empresa. O plano possui uma parte fixa de 12 salários e uma parte variável, com um salário por ano trabalhado, até o teto de 22 salários. Para trabalhadores já aposentados, haverá ainda um bônus de dois salários.

A negociação também assegurou a permanência do convênio médico até dezembro de 2023, independente da data de saída, e a permanência do vale-alimentação por 12 meses. Haverá um calendário do processo, previsto para o primeiro semestre do próximo ano.

O presidente do Sindicato e CSE na Mercedes, Moisés Selerges, relembrou a fala que fez no dia 8 de setembro em assembleia na montadora, após a empresa ter divulgado o boletim, de que a Mercedes tem que aprender que nem sempre é como ela quer, assim como não é tudo como o Sindicato quer.

“Não fugimos da nossa responsabilidade, o sonho da Mercedes é que a fábrica fosse apenas uma montadora, não uma fabricante de veículos, mas isso também não é possível porque tem as vidas dos trabalhadores e das famílias em jogo. Para o Sindicato é importantíssimo que a planta de São Bernardo continue aqui e as negociações levaram isso em conta”, reforçou.

Durante a assembleia, o diretor-executivo dos Metalúrgicos do ABC e CSE na Mercedes, Aroaldo Oliveira da Silva, resgatou o processo intenso de plenárias com os trabalhadores, mobilizações e negociações.

“O principal objetivo na construção do acordo foi garantir o futuro da fábrica e dos empregos, com planejamento e previsibilidade para as nossas vidas. Queremos discutir o futuro, quais os próximos veículos a serem produzidos e o processo produtivo”, explicou.

Prazo determinado

Pelo acordo, os trabalhadores com contrato por prazo determinado terão prioridade de contratação assim que houver a retomada do crescimento da produção.

Mais publicações

Últimas publicações