Sto.André registra 5º caso de morador de rua encontrado morto neste ano

Corpo de homem de 35 anos foi localizado sem vida na manhã desta segunda-feira, na rua Brás Cubas, no Centro da cidade  

 

Morador de rua foi encontrado morto na rua Brás Cubas, no Centro de Santo André. Foto: Reprodução/ Google

 

Santo André registrou na manhã desta segunda-feira (25/11) o quinto caso de morador de rua encontrado morto neste ano. O corpo de um homem de 29 anos foi localizado sem vida na rua Brás Cubas, no Centro da cidade.

O homem identificado como Thiago Casati Queiroz Menezes, de 29 anos, foi localizado às 9h17. Guardas civis municipais foram acionados para ocorrência de indivíduo falecido na via pública. No local, os agentes encontraram uma equipe do SAMU realizando atendimento, com conclusão de óbito.

Segundo populares, Thiago vivia em condição de rua e caminhava pela via quando foi vítima de um mal súbito.

Foi solicitado perícia ao IC, carro de cadáver e exame ao IML, e o caso registrado como morte suspeita, no 01º DP de Santo André.

Outros 4 casos

Em 16 de outubro, um morador de rua, de 38 anos, também foi ao óbito na rua Antônio Cestari, no Jardim Teles de Menezes, perto do supermercado da Coop.

Em 10 de outubro, houve outro caso na rua Tatuí, no bairro Casa Branca, em Santo André. Ele era conhecido como Cícero Rogério, de 45 anos. Ele não tinha sinais de violência pelo corpo.

Em 4 de agosto, um homem aparentando ter 66 anos de idade foi localizado sem vida  na rua Carijós, perto da Igreja Cristo Operário.

Em 7 de julho, a Polícia também encontrou um morador de rua morto na Rua Almada, no bairro Jardim Santo Alberto. O corpo foi encontrado debaixo de uma marquise de uma UBS (Unidade Básica de Saúde).

Casos na Grande São Paulo

Outros casos de moradores de rua encontrados mortos foram registrados na grande São Paulo, inclusive um ganhou grande repercussão nacional neste mês, pois quatro homens que morreram na Praça Central de Barueri, na Região Metropolitana. De acordo com laudos da Polícia, tiveram overdose causada pela mistura de bebida e cocaína.

Alguns dias antes, um homem abordou sete pessoas na praça e ofereceu uma garrafa com bebida. Depois de tomar o líquido, o grupo começou a passar mal e, meia hora depois, quatro pessoas já estavam mortas, como mostraram imagens de uma câmera de segurança.

A perícia da Polícia Técnico-Científica apontou na última sexta-feira (22/11) que a bebida era uma mistura de álcool e cocaína e o laudo necroscópico de uma das vítimas, Marlon Gonçalves, indicou morte por overdose, com 4 gramas de álcool por mililitro de sangue – o que correspondem a 16 doses de cachaça, além de 1,5 grama de cocaína.