1 de julho de 2022

Sto.André e Mauá têm ações no Dia de Combate ao Abuso Sexual Infantil

Mais visitadas

Atividade contou com a participação de agentes de saúde e conselheiros tutelares de Santo André; em Mauá são promovidas palestras

caminhada em Santo André
Atividade contou com a participação de agentes de saúde e conselheiros tutelares de Santo André. Foto: Divulgação/PMA

Santo André e Mauá realizaram nesta quarta-feira (18) ações para conscientizar sobre a importância do combate ao abuso sexual contra crianças e adolescentes.

A Secretaria de Cidadania e Assistência Social de Santo André, por meio dos Cras (Centros de Referência de Assistência Social), em parceria com entidades sociais do município, fez uma caminhada.

Além das crianças, a atividade contou com a participação de agentes de saúde e conselheiros tutelares. Durante a caminhada pelos bairros, as instituições utilizaram bexigas, apitos e materiais educativos sobre o tema e a divulgação do número para denúncias, o Disque 100.

“Esta sensibilização é muito importante para a cidade, principalmente neste momento de pandemia que atravessamos, onde percebemos um aumento muito significativo na incidência destas situações. Os munícipes necessitam deste conhecimento, e também precisam de orientações sobre denúncias e como é possível buscar a garantia de direitos das nossas crianças e adolescentes”, destaca o secretário de Cidadania e Assistência Social, Marcelo Delsir.

A iniciativa organizada pelos Cras, em conjunto com as entidades sociais que realizam os serviços de convivência e fortalecimento de vínculos no município, contou com aproximadamente 450 crianças e adolescentes e suas famílias, além de moradores dos territórios de abrangência dos serviços que se uniram a esta causa.

Os percursos foram organizados nos territórios de abrangência dos Cras, que realizaram uma atividade lúdica com as famílias, de chamada ao compromisso com a denúncia e enfrentamento desta violência.

O objetivo principal foi dar voz às crianças e adolescentes, protagonizando o direito a uma infância e crescimento sem violências. Com barulho de apitos e distribuição de frases estimulando a denúncia no Disque 100, os participantes mostraram que é possível fazer a diferença e prevenir violências em geral.

caminhadas na comunidade
Ações em comunidade marcam Dia de Combate ao Abuso Sexual Infantil. Foto: Divulgação/PSA-Helber Aggio

Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil

A data, comemorada em 18 de maio, foi instituída em 2000 pelo projeto de lei 9970/00. A escolha se deve ao assassinato de Araceli, uma menina de oito anos que foi drogada e morta por jovens de classe média alta, no dia 18 de maio de 1973, em Vitória (ES). Esse crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje permanece impune.

 

Mauá

Nesta quarta-feira, Mauá também promoveu a conscientização sobre o tema e a Prefeitura também promoverá palestras e atividades para a comunidade. O intuito do trabalho é difundir informação e, assim, prevenir a ocorrência desses crimes. Os participantes são divididos em grupos segundo a faixa etária e a abordagem das atividades é adequada para cada grupo etário. A ação já foi feita no Recanto Tia Célia e nos CRASs (Centros de Referência de Assistência Social) Zaíra e Oratório. As atividades, desenvolvidas pelas equipes da Secretaria de Assistência Social, ainda serão realizadas nos demais CRASs da cidade.

A violência sexual é definida como qualquer conduta que constranja a criança ou o adolescente a praticar ou presenciar conjunção carnal ou qualquer outro ato libidinoso, inclusive exposição do corpo em foto ou vídeo por meio eletrônico ou não.

O abuso de menores é, em muitos casos, um crime velado, que causa medo e vergonha à  vítima. É importante que a família fique atenta aos sinais de que as crianças ou os adolescentes apresentam quando expostos a essa violência, como mudança repentina de comportamento. Outras reações comuns são: rejeição súbita a um determinado sujeito (o possível abusador); regressão a comportamentos infantis; sonolência excessiva; perda ou excesso de apetite; evasão escolar; baixa autoestima e isolamento social.

Quem tiver conhecimento ou suspeita de que alguma criança ou adolescente sofreu ou passa por situações de exploração sexual deve denunciar o caso por meio de um dos seguintes canais:
– Disque 100 – Direitos Humanos;
– CREAS Mauá – 4512-7731
– Conselho Tutelar de Mauá – 4512-7725 / 4513-7555.

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações