2 de dezembro de 2021

Sto.André diz que reforma do Teatro Conchita de Moraes inicia em janeiro

Mais visitadas

Governo do prefeito Paulo Serra afirma que anulação de certame refere-se à desclassificação da 1ª empresa, mas que segunda colocada executará serviço

teatro conchita de moraes
Movimento de cultura, trabalhadores, estudantes de escolas livres, artistas, políticos do Psol e artistas foram até o Teatro Conchita de Moraes para cobrar urgência nas obras de recuperação desse espaço. Foto: Divulgação

O governo do prefeito de Santo André, Paulo Serra, afirmou nesta sexta-feira (15/10) que as obras de reforma do teatro Conchita de Moraes terão início em janeiro deste ano. De acordo com o edital publicado em Diário oficial sobre a anulação do certame refere-se à desclassificação da primeira colocada cuja homologação se deu em maio deste ano. O contrato é de R$ 3 milhões.

“A Prefeitura de Santo André, em momento algum, anulou o certame referente à revitalização do Teatro Conchita de Moraes, apenas classificando o segundo colocado para dar prosseguimento ao processo. A obra será iniciada em 90 dias, projetada, portanto, para o mês de janeiro de 2022”, afirmou nota da Prefeitura.

Segundo a Prefeitura, a contratação da reforma ainda não foi concluída. “A publicação se deu em razão da não revalidação da proposta pela 1º colocada (Construtora Progredior Ltda) que foi desclassificada, tendo sido chamada a 2ª colocada (Ponto Forte Construções e Empreendimentos), que aceitou executar a obra estritamente em conformidade com a legislação. A obra em processo de contratação contempla todas as melhorias e adequações necessárias ao equipamento público, inclusive aquelas que foram objeto de observação pelo Ministério Público no passado.

Promotoria

Em 2014, o Ministério Público recomendou a interdição do equipamento cultural porque laudos apontaram a precariedade nas estruturas alertando para uma eventual tragédia. O imóvel sequer tinha AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros).

O vereador Ricardo Alvarez (PSDB) que disse saúda o anúncio da reforma, mas entende que a Prefeitura deveria dar explicações sobre o motivo da anulação da primeira homologação feita com a empresa Construtora Progredior Ltda.

“A Prefeitura deveria dar explicações sobre o motivo da anulação da primeira homologação. Não está explicado até agora porque a primeira empresa foi desclassificada, sendo que ela foi anunciada para fazer a reforma em abril  deste ano. Somente seis meses depois disso e cinco dias após um protesto de movimentos de cultura na frente do Teatro é que houve a movimentação por parte do governo. Saúdo o anúncio da reforma, porque o que a gente quer é a reforma do espaço que poderá voltar a produzir cultura. O espaço é uma referência para a cidade e para a região também”, disse o oposicionista que também participou no último sábado de manifestação de estudantes, artistas e políticos.

Quando realizou a concorrência pública, a administração anunciou que obras no Teatro começariam em junho deste ano, com conclusão prevista para janeiro de 2022, mas a obra atrasou e começará em janeiro do ano que vem.

A reforma prevê cobertura do teatro, além de reformas nos banheiros e dos elementos metálicos, novas instalações hidráulicas e elétricas, adequações para acessibilidade do público e troca de piso, além de novo calçamento e rampa de acesso.

“Desde que iniciamos ainda a primeira gestão não medimos esforços para resgatar o sentimento de pertencimento dos andreenses, sobretudo trazendo a reforma dos mais diferentes equipamentos que estavam ou parados, ou ainda em situação precária. Recuperamos importantes espaços culturais, esportivos e de lazer, para que a população tenha mais opões de entretenimento, saúde e bem estar. O Conchita de Moraes carrega um enorme simbolismo e entregaremos mais este equipamento no próximo ano”, disse o prefeito Paulo Serra.

Cine Theatro

Outro equipamento cultural da cidade segue em obras, com previsão para ser inaugurado em abril de 2022. O Cine Theatro de Variedades Carlos Gomes está passando por completa revitalização para se transformar em um centro multiuso, que será também polo cultural e centro de convivência.

O projeto de recuperação trabalha com o conceito de praça coberta para permitir o trânsito do público, enquanto prevê a recuperação e preservação das estruturas e dos elementos protegidos pelo tombamento. A ideia é, através de adequações físicas que já foram concluídas, transformar o Cine Theatro Carlos Gomes em um equipamento multifuncional e flexível, voltado às diversas formas de manifestações artísticas e atividades culturais, e que, por ser aberto, propicie a livre circulação, acesso às atividades culturais e também a percepção visual do espaço interno da edificação a partir do exterior do Cine Theatro.

 

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações