Sto.André apresenta projeto de revitalização do Cine Theatro Carlos Gomes

Marco simbólico da cultura andreense será recuperado, com valorização dos elementos existentes identificados como de interesse na preservação da memória

 

carlos gomes
Projeto de revitalização do carlos Gomes é apresentado em Santo André. Foto: Divulgação/PSA-Alex Cavanha

 

A Prefeitura de Santo André apresentou nesta quarta-feira (17) o projeto de intervenção e revitalização do Cine Theatro de Variedades Carlos Gomes, marco simbólico da cultura andreense. O evento foi realizado na área frontal do edifício, localizado na rua Senador Fláquer, 110, no centro da cidade.

O equipamento é um bem tombado como Patrimônio Cultural Andreense pelo Comdephaapasa (Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico-Urbanístico e Paisagístico de Santo André) desde 1992, mas está fechado desde 2008 devido a problemas estruturais.

“Estamos recolocando na cidade um novo conceito de atividade cultural, de políticas públicas na área da cultura. Estamos resgatando essa cultura de base que Santo André já teve um dia e temos muito orgulho de tudo que está acontecendo nessa área. O dia de hoje marca o resgate de mais um símbolo importante, estamos resgatando o orgulho do sentimento de pertencimento do município, as pessoas estão resgatando esse orgulho, resgatando que a nossa cidade é para ser curtida por nós”, afirmou o prefeito Paulo Serra.

 

 carlos gomes
Prefeito Paulo Serra diz que cidade tem novo conceito de atividade cultural. Foto: Divulgação/PSA-Alex Cavanha

 

O projeto de intervenção no Carlos Gomes foi elaborado pela equipe de arquitetos da Prefeitura e prevê a reforma, recuperação e preservação das estruturas e dos elementos protegidos pelo tombamento. A intervenção tem como objetivo a recuperação e a reocupação do edifício, importante referência cultural e espaço de sociabilização do município.

De acordo com os responsáveis, o projeto trabalha com o conceito de praça coberta para permitir o trânsito do público. O trabalho prevê a recuperação e valorização dos elementos existentes identificados como de interesse na preservação da memória, como é o caso das paredes internas com pintura decorativa, a boca de cena e a estrutura de madeira da cobertura.

“Hoje é um dia muito especial por ser o primeiro cinema da cidade, mas principalmente por ser um espaço de sociabilidade. O Carlos Gomes possui um valor afetivo imenso, por isso resiste. Sou uma pessoa que não gosta do termo resgate cultural, porque a cultura não morre, ela sempre se transforma, mas no caso do edifício eu acho que esse termo resgate é adequado porque ele está em risco, no caso da memória afetiva não, porque ela está sã e viva”, comentou a Secretária de Cultura, Simone Zárate.

Optou-se ainda pela não reposição de elementos suprimidos, o que evidencia a perda do patrimônio nos últimos anos. Exemplo disso é a não reconstrução da fachada principal e do palco. Para evidenciar esta perda, o projeto determina a inserção de elementos contemporâneos, como a reconstrução do mezanino e das frisas, que resgatam a referências e a configuração espacial original do antigo prédio.

Após a apresentação pública, o cronograma de ações prevê a elaboração do projeto básico e executivo de intervenção e licitação até meados de 2019. O início das obras está previsto para o mês de outubro, com conclusão para o próximo ano.

História

O Cine Theatro de Variedades Carlos Gomes, considerado o primeiro espaço cultural da região, foi inaugurado em 1912 pelo italiano Vicenzo Arnaldi na rua Coronel Oliveira Lima, esquina com a atual Salvador Degni. Em 1925 foi reinaugurado pela empresa Arnaldi, Masini & Gianotti na localização atual, onde foi construído um novo edifício com detalhes arquitetônicos neoclassicistas e instalado um medalhão retratando o perfil do músico Carlos Gomes.

Em 1932 passou pela primeira reforma, quando foi construído o anexo para abrigar um rinque de patinação e acesso para automóveis. Em 1947 foi construída a marquise e modificada a fachada. Outras reformas se sucederam, tanto interna quanto externamente. Fechado em 1987, foi ocupado por uma loja de tecidos e por um estacionamento, quando sua fachada foi descaracterizada. Foi desapropriado em 1991 por pressão popular e está fechado desde 2008.

Em 2013 foi celebrado um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) entre a administração municipal e o Ministério Público Estadual, que determinou a preservação do Cine Theatro Carlos Gomes e estabeleceu ações e cronograma de recuperação para retomada de seu funcionamento. O prazo estabelecido para conclusão das ações de restauro é janeiro de 2023, mas a atual gestão planeja entregar o equipamento em 2020.