Sto.André agora tem Plano de Cultura e aguarda liberação R$ 30 milhões da Caixa

 Projeto conta com ações para os próximos 10 anos e entra em vigor neste sábado

 

plano de cultura
Prefeitura de Santo André apresenta metas do Plano Municipal de Cultura que passa a vigorar neste sábado. Foto Divulgação/PSA-Alex Cavanha

 

O prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB) anunciou nesta sexta-feira (22/02) as metas do Plano Municipal de Cultura, aprovado pela Câmara Municipal no dia 14 de fevereiro. Junto com a divulgação a Prefeitura informou que aguarda liberação da Caixa Econômica Federal de R$ 30 milhões para o setor. A expectativa é de que o financiamento seja aprovado em breve.

O Plano de Cultura tem 55 metas, entre elas: realização de um curso anual de gestão pública e políticas culturais, destinado aos integrantes de conselhos e comissões vinculados à Secretaria de Cultura, 80% dos espaços públicos descentralizados e localizados em regiões sem equipamentos culturais com ações periódicas, realização de Encontro Municipal de Cultura, para debate ampliado sobre políticas culturais, criação de cinco aplicativos culturais para dispositivos móveis, entre outras.

É um passo cultural importante que a gente dá na cidade, no ABC apenas a cidade de São Caetano possui o Plano Municipal de Cultura. Na região metropolitana de São Paulo, poucos municípios têm este projeto de lei, que garante o planejamento das ações da cultura nos próximos 10 anos. De 5570 municípios do país, somente 108, contando com Santo André, têm o PMC”, disse.

De acordo com a Secretaria de Cultura, nos últimos dois anos, o público atendido atingiu 875 mil pessoas, sendo que houve 2644 atividades, com 910 com artistas locais, 21 convocatórias e mais de 40 bairros atendidos. Até o meio deste ano a estimativa é alcançar 1 milhão de pessoas em atividades culturais na cidade.

É importante dizer que nós já estávamos cumprindo as metas mesmo antes do Plano ser aprovado. A descentralização cultural, que é um ponto presente no programa de governo atual, é também um ponto que apareceu muito no Plano Municipal de Cultura, é a primeira meta do projeto. Nós já vínhamos trabalhando em boa parte destas metas”, afirmou a secretária de Cultura, Simone Zárate.

Segundo a secretária, o Plano surgiu de cinco Conferências Municipais de Cultura (2005, 2009, 2013, 2015 e 2017), na Conferência Livre de Cultura (2013) e em 21 reuniões temáticas e territoriais (escutas) realizadas em 2015 com a participação de quem faz cultura, quem frequenta as atividades culturais e interessados em geral.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*