STF inicia julgamento de recurso do MPF contra Atila

Gilmar Mendes vota a favor do prefeito de Mauá e votação de outros ministros do Supremo Tribunal Federal continua nesta segunda-feira

Ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federa, absolve homem que havia praticado furto em Mauá. Foto: Divulgação/STF- Nelson Jr.

 

O julgamento virtual do recurso movido pelo MPF (Ministério Público Federal) contra o prefeito de Mauá, Atila Jacomussi, teve início nesta sexta-feira (10/04) na 2ª turma do STF (Supremo Tribunal Federal), mas somente o ministro Gilmar Mendes, relator, apresentou o voto a favor do retorno do chefe do Executivo ao comando do Paço.

Os demais ministros (Edson Fachin, Carmen Lúcia, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski) votarão somente a partir desta segunda-feira (13/04), porque houve suspensão do julgamento. Essa 2ª turma do STF tem até sexta-feira que vem (17/04) para finalizar o voto.

A polêmica que envolve o processo é que Atila foi preso em maio de 2018 durante Operação Prato Feito, da Polícia Federal, que apura contratos da merenda escolar, além da Operação Trato Feito, que apura suposto pagamento de mensalinho a 21 de 23 vereadores, além de um suplente. Todos negam a denúncia.  Desde que foi preso, Atila trava uma batalha judicial para permanecer no cargo.

A defesa de Atila tinha entrado com pedido de adiamento do julgamento do recurso do Ministério Público, mas foi negado.

“O ministro Gilmar Mendes já negou provimento ao recurso do Ministério Público e o voto do relator conta muito”, avaliou o prefeito.