Sindserv de Sto.André fará ato e ameaça greve contra projeto da Sabesp

 Direção do sindicato usará a tribuna livre na Câmara nesta quinta contra a proposta do prefeito Paulo Serra que troca serviço de água e esgoto por dívida do Semasa

 

sindserv
Diretor do Sindserv Rodrigo Gomes diz que categoria usará tribuna livre da Câmara para mostrar descontentamento com projeto da Sabesp. Foto: Divulgação

O projeto do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), que protocou projeto na Câmara no qual prevê a entrega do serviço de água e esgoto para a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) em troca de um abatimento da dívida de R$ 3,4 bilhões, enfrentará resistência por parte dos servidores do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), autarquia responsável atualmente por esse serviço na cidade.

O Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos de Santo André) organiza para esta quinta-feira (09/05) um ato e uma assembleia para tratar do assunto. A categoria também informou que usará a tribuna livre da Câmara para manifestar o descontentamento quanto à proposta do Executivo.

Somos contra a íntegra do projeto, que não foi discutido coma a população, com a Câmara e muito menos com o sindicato dos trabalhadores. Esse projeto vai causar a demissão dos funcionários. Se o prefeito persistir com o projeto, vamos para nossa assembleia nesta quinta com um indicativo de realização de greve”, disse o diretor do Sindiserv Rodrigo Gomes

Protocolo

Esse projeto de lei foi protocolado no Legislativo nesta terça-feira (07/05) e visa autorizar o município a compartilhar o serviço de saneamento com a Sabesp. A Prefeitura argumenta que o objetivo é acabar com o problema de abastecimento na cidade, melhorar a qualidade do serviço de água e esgoto, além de eliminar uma dívida de R$ 3,4 bilhões.

A Prefeitura afirmou em nota oficial que o Semasa, responsável atualmente pelo serviço de abastecimento, continuará existindo e executará parte dos serviços já oferecidos aos moradores em áreas que não são ligadas à distribuição de água e tratamento de esgoto.

Pelo projeto, haverá um serviço compartilhado por 40 anos entre a autarquia, Sabesp e Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo). Para a administração, a dívida da autarquia municipal com a companhia estadual impede a realização de investimentos.

“Estamos devolvendo a Santo André a capacidade de investimento na rede de distribuição de água, a partir da modernização, uma medida fundamental para acabar, de uma vez por todas, com os problemas de abastecimento que vêm penalizando a nossa gente. O projeto de lei encaminhado à Câmara, e que será agora apreciado pelos vereadores, resolve definitivamente a questão, a partir de um pacote de melhorias, do parcelamento da dívida com a Sabesp, sem qualquer prejuízo aos servidores do Semasa e sem colocar em risco empregos, e garantindo água de qualidade e em volume adequado aos andreenses”, afirmou o prefeito Paulo Serra por meio de nota oficial.