Saul Klein anuncia afastamento do time do São Caetano

Empresário divulgou nota em que diz que segue apenas como torcedor

 

Saul Klein anuncia afastamento do time do São Caetano. Foto: Reprodução

 

O empresário Saul Klein, candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Fabio Palacio, anunciou sua saída do time do São Caetano. O herdeiro das Casas Bahia divulgou nota oficial e ressaltou as conquistas da equipe enquanto esteve à frente do Azulão, como o Campeonato Paulista de 2004 e os vice-campeonatos brasileiros de 2000 e 2001, além da Libertadores de 2002, a Copa Paulista de 2019 e o Paulista A2 de 2020.

Sauel Klein sai em meio a uma crise vivida pela equipe, com atraso de salários, greve de jogadores e disputas políticas internas. A equipe é  lanterna do Grupo A8, com apenas cinco pontos em dez jogos da primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série D.

Confira a nota divulgada á imprensa:

“Após mais de duas décadas participando da história do futebol do São Caetano, anuncio oficialmente minha retirada da agremiação que conquistou milhões de brasileiros no início deste século. Tomo uma decisão que é o último estágio de um afastamento ditado pelas circunstâncias.

Primeiro, deixei no ano passado de contribuir maciçamente como doador oficial em valores registrados na Receita Federal. E agora o faço também como renunciante ao posto de Presidente de Honra, cuja tarefa consistia na obtenção de recursos em forma de patrocínios para minimizar os efeitos da gestão supostamente empresarial exercida ao longo dos anos pelo acionista da organização.

Estas intervenções socorristas foram suficientes para assegurar estabilidade técnica nos gramados, a ponto de o clube ter conquistado duas competições, a Copa Paulista no final do ano passado e, recentemente, a Série A-2 do Campeonato Paulista, elite do futebol estadual.

 

Resta a mim uma terceira parte da paixão pelo clube: a inesgotável condição de torcedor. As inconformidades alarmantes na gestão do São Caetano Futebol Limitada, alvos de processos judiciais, são objetivamente a razão de meu afastamento definitivo.

Mais que isso: me causaram tanto inconformismo, a ponto de não resistir à proposta de dirigir de forma efetivamente empresarial, agora longe da condição de mecenas, uma nova agremiação, no caso a Ferroviária de Araraquara, à qual me dedico com o entusiasmo de quem faz do futebol a extensão da própria vida.

Resta a esperança de que o São Caetano Futebol Limitada encontre um futuro próximo que restabeleça a ordem de nobreza histórica de grandes conquistas. Que os sempre anunciados novos dirigentes exercitem tal missão com sucesso. Este torcedor ficará muito feliz”.