São Bernardo tem exposição de mascotes

 Mostra acontece na Biblioteca da Paulicéia e conta a história do Mundial entre 1966 a 2018

Exposição Mascotes da Copa do Mundo vai até 21 de julho. Foto: Divulgação/PSBC-Omar Matsumoto

Em comemoração à Copa do Mundo Fifa, na Rússia, a Secretaria de Cultura e Juventude de São Bernardo montou a exposição “Mascotes do Mundial”, que revela a história desse evento mundial entre 1966 a 2018 por meio de releituras das mascotes criadas pelo ilustrador Gabriel Leite. A exposição acontece na Biblioteca Érico Veríssimo, que fica na rua Francisco Alves, 460, bairro Pauliceia.

A mostra está prevista para encerrar em 21 de julho. Os interessados podem visitar o espaço de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h, e aos sábados, das 8h às 14h, com entrada franca.

Formado em Publicidade e Propaganda e estudando Animação no CAV (Centro de Audiovisual) de São Bernardo, o andreense Gabriel Leite, de 26 anos, não é o tipo que acompanha todos os campeonatos de futebol. “Sou o famoso sempre torço para a Seleção Brasileira nos períodos de Copa”.

No entanto, o ilustrador sempre gostou de assistir, desde criança, megaeventos como Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. “A diversidade cultural de outros lugares do mundo sempre despertou a minha curiosidade. Na minha infância e adolescência, a internet não era como hoje e cresci vendo televisão. Era como nossa janela para o mundo”, complementou.

Durante o Mundial de 2014, no Brasil, Gabriel pode participar como voluntário e vivenciar um pouco dos bastidores. “Foi uma experiência única e inesquecível. Como este ano ficou um pouco mais distante, resolvi utilizar toda essa empolgação para elaborar uma retrospectiva e ilustrar um pouco dessa história por meio das releituras das mascotes”, disse.

Para criar os desenhos, o ilustrador utilizou lápis de cor para praticar um pouco de pintura manual. O acabamento foi digital, para ressaltar as cores. “Os desenhos foram criados para treinar algumas técnicas de pintura e combinações de cores com lápis de cor. Em alguns, utilizei um pouco de giz pastel seco. Fui pesquisando um pouco sobre as edições e achei informações bem interessantes”, afirmou.

A mascote predileta de Gabriel é o Footix, justamente pelo motivo dele despertar as memórias mais afetivas sobre o Mundial. A primeira Copa que eu tenho na memória é a de 1998, na França. Nessa época, tinha 7 anos e me lembro que pintamos uma bandeirinha com o Footix, a mascote desta edição, para podermos torcer para o Brasil. Infelizmente o desfecho não foi o que queríamos”, lembrou.

Como bom brasileiro e que não desiste nunca, Gabriel acredita que a Seleção Brasileira tem tudo para conquistar o hexacampeonato no Mundial da Rússia. “Por toda a nossa história, trajetória e personalidades do futebol brasileiro, sempre chegamos como um time respeitado e favorito, assim como outras seleções campeãs mundiais. Pelos amistosos até aqui, o time parece confiante com o Tite”, finalizou.