Santo André inicia obras de duplicação do viaduto Adib Chammas

Investimento de R$ 15,2 milhões será utilizado na construção de duas novas faixas de tráfego que irão transpor a avenida dos Estados e o rio Tamanduateí

 

Prefeito assina ordem de serviço para obras no viaduto Adib Chammas. Foto: Divulgação/PSA-Alex Cavanha

 

A Prefeitura de Santo André autorizou nesta sexta-feira (26/07) o início das obras de duplicação do viaduto Antônio Adib Chammas. O contrato assinado com a empresa Terracom Construções terá investimento de R$ 15,2 milhões para a construção de duas novas faixas de tráfego que irão transpor a avenida dos Estados e o rio Tamanduateí.

A duplicação do viaduto faz parte de pacote de intervenções de mobilidade que será realizado com verbas do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). A Prefeitura obteve financiamento de US$ 25 milhões junto à instituição financeira e investirá outros US$ 25 milhões em diversas obras, totalizando investimento de US$ 50 milhões.

O prefeito Paulo Serra esteve no viaduto Antônio Adib Chammas na tarde desta sexta-feira para assinar a ordem de serviço que autoriza o início das intervenções. “Hoje é um dia que devemos comemorar. Desde 1992 este viaduto foi entregue e nunca foi terminado e é um símbolo das paralisias que a cidade passou nas últimas décadas. A última obra viaria nesta cidade foi entregue em 2004, são 15 anos que Santo André não assistia uma obra dessa importância e magnitude acontecer. Temos que comemorar também não apenas esta obra, mas a retomada da nossa cidade que voltou a investir em mobilidade e na malha viária, pois tudo isso é um produto de um novo modelo de gestão que implementamos para a nossa gente”, destacou.

Santo André, pela primeira vez na história, lançou um edital na modalidade internacional, obedecendo criteriosamente os preceitos das Políticas para Aquisição de Bens e Obras Financiadas pelo BID. As intervenções vão trazer vários benefícios para o município, como a melhora na fluidez do tráfego entre as duas regiões da cidade e a redução nos tempos de viagens dos motoristas que utilizam essa transposição, proporcionando aumento na articulação da rede viária.

A emissão dos poluentes e gases que contribuem para o efeito estufa também será reduzida e a qualidade do ar apresentará uma melhora significativa, na medida em que os veículos ficarão menos tempo em seus deslocamentos e poluirão menos.

Outro diferencial desta obra é o inédito método construtivo que será adotado para a duplicação do viaduto Adib Chammas, que se chama balanço sucessivo. Com a execução desse tipo de projeto, será possível a construção do novo complexo sem a necessidade de escoramento sob a obra e, portanto, sem obstruir o sistema viário durante a construção, evitando ao máximo problemas aos motoristas.

A execução da obra é feita por módulos, simultaneamente dos dois lados do viaduto para manter o equilíbrio da estrutura, até os módulos se encontrarem no centro do viaduto. No caso do viaduto Adib Chammas, cada módulo tem quatro metros de comprimento, em um total de 17 módulos (oito de cada lado, além de um central).