S.Caetano dará 6,76% de reajuste salarial para servidores, o maior do ABCD

 Prefeitura dará 3,89% com pagamento retroativo a 1º março, 1,11% retroativo a 1º de maio e 1,76% e julho; piso salarial subirá 10% e vai para R$ 2,2 mil

 

reajuste
Prefeito Auricchio e secretário da Fazenda, Jefferson Cirne, bateram o martelo sobre reajuste salarial dos servidores nesta quinta-feira. Foto: Divulgação/PSCS

 

O governo do prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), já definiu o reajuste salarial dos servidores para este ano. O aumento será de 6,76%, o maior entre as sete Prefeituras do ABCD.

Em 30 de junho serão pagos 3,89% retroativo a 1º de março, além de 1,11% retroativo a 1º de maio. Os outros 1,76% serão pagos em 30 de julho.

O maior aumento ficou para quem ganha o piso salarial, que vai de R$ 2 mil para R$ 2,2 mil. Nessa faixa, serão beneficiados 3 mil servidores, dos 6 mil que existem na Prefeitura.

Com a definição feita pelo prefeito Auricchio e pela a Secretaria da Fazenda, comandada por Jefferson Cirne da Costa, o projeto seguirá para a Câmara para a votação dos vereadores.

Ribeirão Pires

Em Ribeirão Pires, o reajuste definido pelo prefeito Adler Kiko Teixeira (PSB) foi de 6,28%, o segundo maior da região. A matéria foi aprovada pelo Legislativo em maio. Foram beneficiados 3.646 servidores e o impacto na folha de pagamento será de R$ 7,3 milhões no ano.

Mauá

O terceiro maior reajuste do ABCD será em Mauá. Em assembleia realizada na sede do Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos, em 29 de maio, o funcionalismo aprovou o índice de 6% oferecido pelo governo de Alaíde Damo (MDB).

Pela proposta, os salários serão reajustados em 6%, sendo 4% a partir de 1º de maio e 2% a partir de 1º novembro. O auxílio alimentação passará de R$ 390 para R$ 410 a partir de 1º de maio.

Santo André

Em assembleia realizada pelo Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos) de Santo André, em 31 de maio, os funcionários públicos rejeitaram a proposta de reajuste salarial apresentada pelo governo do prefeito Paulo Serra (PSDB). A administração ofereceu acréscimo de 2,55% retroativo a 1º de maio e 2,55% para serem pagos somente em fevereiro do ano que vem. A categoria reivindica 5,03% de uma única vez referentes à inflação do últimos 13 meses. Nova rodada de negociação deve ocorrer na próxima semana.

São Bernardo

A Prefeitura de São Bernardo reajustou o salário dos servidores em 5%. O projeto foi aprovado pela Câmara Municipal em 27 de março. O aumento compreendeu o quadro de servidores ativos e inativos, que soma 20 mil funcionários da Administração Direta e Indireta. O reajuste passou a valer a partir de 1º de maio.

De acordo com a Prefeitura, foi o segundo ano consecutivo que foi aplicado um índice superior à reposição inflacionária: o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), do período acumulado de um ano, que foi de 3,94%. O impacto na folha salarial na Prefeitura de São Bernardo para o período será de R$ 49 milhões, distribuídos nos contracheques de 13 mil funcionários ativos, e outros 7 mil inativos.

Diadema

Em Diadema, uma reunião está marcada para 17 de junho, conforme informação do presidente do Sindema (Sindicato dos Funcinários Públicos), Aparecido Neno. Ele afirmou que a inflação do período foi de 3,65%, mas a categoria reivindica 7%. A data base é 1º de março. A Prefeitura passa por grave crise financeira e o reajuste não deve ser superior à inflação.

Rio Grande da Serra

A prefeitura de Rio Grande da Serra, administrada por Gabriel Maranhão, reajustou o salário do funcionalismo em 4,78%, aplicados na folha de pagamento de fevereiro, conforme informou o chefe do Executivo ao ABCD Jornal.