S.Bernardo oferece aulas de italiano em escolas municipais em tempo integral

Iniciativa beneficia quase 2,2 mil alunos; formação aos professores é oferecida pela Associação Bell’Itália Língua e Cultura em parceria com o Consulado Geral da Itália

 

Iniciativa beneficia quase 2,2 mil alunos; formação aos professores é oferecida pela Associação Bell’Itália Língua e Cultura em parceria com o Consulado Geral da Itália. Foto: Divulgação/PSBC-Ricardo Cassin

 

A Prefeitura de São Bernardo ministra aulas de italiano para os 2.194 alunos do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) de sete escolas do programa Educar Mais, que oferece educação em tempo integral na cidade. A iniciativa é financiada pela Associação Bell’Itália Língua e Cultura, em parceria com o Consulado Geral da Itália, que concede bolsas de estudos neste idioma para os 30 professores da rede municipal. O treinamento tem a duração de 180 horas e aborda língua, linguagem e a cultura italiana. A Bell’Itália também foi responsável pelo desenvolvimento dos materiais de ensino e treinamento aos docentes.

Para a professora Janaína Nakamura, 35 anos, que leciona na EMEB Luiz Gushiken, no Parque Hawai, a formação em italiano a ajudou a realizar o sonho de aprender um novo idioma. “Fiquei completamente encantada com a proposta. Além de os professores terem a possibilidade de aprender uma nova língua, podemos construir esse aprendizado com os nossos alunos”, explicou. Desta forma, a docente passou a lecionar para os alunos do 4º ano da EMEB Profª Sylvia Marilena Fantacini Zanetti, no bairro Jordanópolis. As aulas ocorrem todas às terças, às 15h.

Janaína explica que o foco é levar o conhecimento tanto sobre o idioma quanto sobre a cultura. A docente enfatiza, inclusive, a grande influência dos imigrantes italianos na formação de São Bernardo, bem como trazendo à cidade mão de obra e iniciativa em alguns segmentos como, por exemplo, as carvoarias, as olarias, as serrarias e fábricas de móveis. “Levar esta vivência, ao mesmo tempo, amplia o conhecimento cultural destes alunos e permite que as experiências vividas na cidade ganhem mais sentido, além de favorecer o conhecimento de uma língua estrangeira”, disse.

O aluno Breno Celiberto Moreira de Souza, 10 anos, disse que é uma de suas aulas prediletas. “Sempre quis aprender um novo idioma. O inglês é muito legal, mas gostei muito do italiano”, disse. A mãe do estudante, Stefany Celiberto, 30 anos, gostou da iniciativa da Prefeitura. “Acho interessante meu filho ter aulas de italiano. É importante inserir as crianças em outras culturais. O contato precoce com outros idiomas facilita a expressão e cria diversos conhecimentos. Fiquei admirada dele conseguir cantar a música ‘La bella polenta’ sozinho, pronunciando muito bem a língua italiana”, afirmou.

Além da EMEB Profª Sylvia Marilena Fantacini Zanetti, as aulas de italiano são oferecidas nas seguintes escolas: Ítalo Damiani (Taquacetuba), Luiza Maria de Farias (Jardim Silvina), Marly Buissa Chiedde (Jardim Nossa Senhora de Fátima), Olegário José Godoy (Montanhão), Prof. Waldemar Canciani (Parque Imigrantes) e Viriato Correia (Rudge Ramos).

INCREMENTO

O prefeito Orlando Morando destaca a importância de se incrementar o aprendizado nas escolas em tempo integral. “Trabalhamos todas as possibilidades de aprimoramento, pensando única e exclusivamente na qualificação das nossas crianças. O investimento mais assertivo é sempre a Educação”, afirmou.

Para o secretário de Cultura e Juventude, Adalberto Guazzelli, responsável por trazer a parceria com a Bell’Itália ao município ressalta a relevância da iniciativa. “Aprender uma nova língua traz diversos benefícios na capacitação escolar. Além dos estudo do idioma, o conhecimento sobre a cultura amplia as experiências dos alunos, mostrando também que a Itália é um país novo, multicultural e moderno”, disse.

A secretária de Educação, Sílvia Donnini, afirma que a oportunidade oferece mais do que a experiência linguística. “Este aprendizado contribui para que a criança desenvolva a habilidade comunicativa tanto em português como em italiano. E quanto mais confiança o aluno desenvolve, mais se reconhece como um cidadão do mundo”, finalizou.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*