S.Bernardo decreta calamidade pública e anuncia pacote para os efeitos das chuvas

 Plano de ação estabelece mobilização total no trabalho de recuperação da cidade até o final desta semana

 

 

pacote
São Bernardo anuncia pacote para minimizar problemas com enchentes. Foto: Divulgação/PSBC

Após as graves ocorrências causadas pela chuva intensa que atingiu toda a região metropolitana entre a noite deste domingo (10/03) e a manhã de hoje (11/03), o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, apresentou em coletiva de imprensa o decreto que declara situação de calamidade pública no município, além de um pacote de 14 medidas que visam mitigar os danos causados à cidade e às famílias atingidas pela tempestade. A medida estabelece mobilização total no trabalho de recuperação da cidade até o final desta semana.

 

Para isso, estão previstas ações de manutenção da cidade, além de mecanismos de suporte aos munícipes, como disponibilização de vale-refeição, vale-transporte gratuito por 15 dias e colchões novos para as famílias atingidas, além de acordo junto à Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) para uso gratuito da água fornecida pela concessionária por 30 dias, como forma de ajudar na limpeza das casas e entornos.

Também está contida no plano de ação a disponibilização de alojamentos para as famílias desabrigadas. Serão 70 vagas no abrigo da Secretaria de Assistência Social, localizada no Centro, e mais 100 vagas em hotéis da cidade. Além disso, as residências interditadas ou mapeadas pela Defesa Civil serão isentadas do IPTU de 2019. Já os que perderam a casa serão incluídos no programa de Bolsa Aluguel da secretaria de Habitação e posteriormente em programas habitacionais da cidade.

Paralelamente, cerca de 73 funcionários diretos da Administração e mais de 180 indiretos atuam desde a madrugada em um grande trabalho de limpeza da cidade. “Se não tivermos outra chuva nesta intensidade, vamos devolver a cidade em plenas condições, com lavagem de ruas e bocas de lobo e todos os demais serviços necessários, até o final desta semana. A Defesa Civil do Estado está em sintonia conosco e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) também está nos auxiliando para evitar novos incidentes”, destacou o chefe do Executivo.

O plano anunciado inclui ainda uma força-tarefa do Centro de Controle de Zoonoese (CCZ) para reforçar a necessidade da imunização contra doenças que possuem a chuva como principal vetor de contaminação e em ações de desratização e dedetização nas áreas mais afetadas. Para garantir a segurança dos moradores, haverá reforço 24h da Guarda Civil Municipal (GCM) em áreas estratégicas do município.

Em reunião junto aos comerciantes da Rua Jurubatuba, fortemente prejudicados pelo temporal, ficou definida a realização de uma feira de móveis, que deverá acontecer em maio, como forma de alavancar as vendas e minimizar os prejuízos causados pela enchente.

Fundo de Garantia – Outra ação prevista é a articulação junto ao Ministério da Integração Nacional para que os moradores impactados possam solicitar o Fundo de Garantia (FGTS). A medida está amparada na lei 5113/2004, que permite esta requisição em casos de calamidade pública. Também está sendo implementada uma bolsa-cobertura para indenizações aos atingidos, seguindo critérios pré-estabelecidos. As escolas municipais também passarão a ser pontos de recebimento de doações, como alimentos e produtos de limpeza para encaminhamento aos afetados.

Chuvas e mobilização

Entre às 18h de ontem e às 9h desta segunda-feira foram registrados 177 mm de água em toda a cidade, segundo a Defesa Civil Estadual. A previsão para o período era de um volume de 7mm. As áreas mais críticas foram o Parque dos Pássaros (121,8 mm), Paulicéia (114,9 mm), Jardim Silvina (75,6 mm), Centro (109 mm) e Rudge Ramos (123 mm).  A Operação Pé D’água foi ativada e diversas vias da região central, como Avenida Faria Lima e Rua Jurubatuba foram bloqueadas durante a noite, sendo liberadas ao longo desta segunda-feira.

A Defesa Civil registrou cerca de 61 ocorrências nos bairros Vila São Pedro, Vila São José, Ferrazópolis, Montanhão, Irajá, Nova Baeta, Cooperativa, Santo Inácio, Vila esperança, Jardim Laura, Assunção e Riacho Grande, todos sem vítimas. As escolas municipais, com exceção da EMEB Pastor Roberto Montanheiro, na Vila Vivaldi, funcionaram normalmente no dia de hoje, assim como os equipamentos de Saúde.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*