Região do ABCD registra mil mortes pelo Coronavírus

 Sete municípios também tiveram 7.490 pacientes recuperados da Covid-19

 

Região do ABCD registra mil mortes pelo Coronavírus. Foto: Divulgação

 

Três meses depois do início da pandemia do novo Coronavírus os sete municípios do ABCD registraram nesta terça-feira (23/06) mil óbitos, conforme boletins informativos divulgados pelas sete prefeituras da Região.

O município que mais teve óbitos foi São Bernardo, um total de 312 mortes, seguido por Santo André com 242, Diadema com 207, Mauá com 117, São Caetano com 78, Ribeirão Pires com 33 e Rio Grande da Serra com 11.

Nesse mesmo período 7.490 se recuperaram. Santo André conta com 3.285 altas, seguido por São Bernardo com 2.105, São Caetano com 1.351, Diadema com 267, Mauá com 254, Ribeirão Pires com 152 e Rio Grande da Serra com 76.

No Estado de São Paulo há um registro de 13.068 óbitos e 229.475 casos confirmados do novo coronavírus. Entre as pessoas diagnosticadas com a Covid-19, 39.227 foram internadas, curadas e tiveram alta hospitalar.

Dos 645 municípios, houve pelo menos uma pessoa infectada em 605 cidades, sendo 338 com um ou mais óbitos.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 68,7% na Grande São Paulo e 65,7% no Estado. O número de pacientes internados é de 13.954, sendo 8.295 em enfermaria e 5.659 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 10h30 da manhã desta terça-feira.

Perfil da mortalidade

Entre as vítimas fatais estão 7.551 homens e 5.517 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 73,8% das mortes.

Observando faixas etárias, nota-se que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (3.116), seguida pelas faixas de 60 a 69 anos (3.023) e 80 e 89 anos (2.622). Entre as demais faixas estão os: menores de 10 anos (20), 10 a 19 anos (31), 20 a 29 anos (103), 30 a 39 anos (460), 40 a 49 anos (952), 50 a 59 anos (1.849) e maiores de 90 anos (892).

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (58% dos óbitos), diabetes mellitus (43%), doenças neurológica (11,2%) e renal (10%), pneumopatia (8,4%). Outros fatores identificados são obesidade (6,9%), imunodepressão (6,4%), asma (3,3%), doenças hepática (2,3%) e hematológica (2%), Síndrome de Down (0,4%), puerpério (0,1%) e gestação (0,1%). Esses fatores de risco foram identificados em 10.451 pessoas que faleceram por COVID-19 (80%).

 Perfil dos casos

Entre as pessoas que já tiveram confirmação para o novo coronavírus estão 108.082 homens e 121.194 mulheres. Não consta informação de sexo para 199 casos.

A faixa etária que mais concentra casos é a de 30 a 39 anos (56.456), seguida pelas faixas de 40 a 49 (50.716), 50 a 59 (35.796), 20 a 29 (33.318), 60 a 69 (21.291), 70 a 79 (12.114), 80 a 89 (6.907), 10 a 19 (6.763), menores de 10 anos (3.866) e maiores de 90 (2.068). Não consta faixa etária para outros 180 casos.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*